Medprev
Saúde mental

10 sintomas da ansiedade noturna

Revisado pela Equipe de Redação da Medprev

10-sintomas-da-ansiedade-noturna.png

A ansiedade noturna é uma das condições mais frequentes na população brasileira atualmente, podendo ser um fator que contribui para o desenvolvimento de diversos problemas como os de memória.

Apesar de ser natural sentir ansiedade em momentos ao longo da vida, o seu excesso é extremamente prejudicial, visto que pode prejudicar a saúde, principalmente em médio e longo prazo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, há um aumento de aproximadamente 25% de casos de problemas psicológicos como o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), sendo as mulheres os principais alvos dessa doença.

Para entender melhor a ansiedade noturna, buscar ajuda profissional de psicólogos e psiquiatras e obter o tratamento adequado, é importante conhecer seus sintomas físicos e psicológicos.

Veja neste artigo os principais 10 sintomas da ansiedade noturna e suas principais características!

1. Insônia

A insônia é um dos sintomas mais comuns da ansiedade noturna, uma vez que o excesso de pensamentos dificultam o descanso da mente e o relaxamento.

Assim, pessoas que lidam com esse problema podem demorar a pegar no sono, muitas vezes permanecendo acordadas durante toda a noite.

Sem o descanso adequado, tanto a saúde mental quanto física são afetadas, já que a insônia causa consequências negativas para a concentração, humor e qualidade de vida no geral

2. Preocupações excessivas

A ansiedade noturna geralmente se manifesta através de preocupações excessivas, que podem estar relacionadas a assuntos como trabalho, relacionamentos, saúde ou vida financeira.

Tais preocupações podem ser irracionais ou até mesmo desproporcionais à realidade, causando angústia, dificultando o processo de adormecer e, por consequência, afetando a qualidade do sono.

3. Pesadelos recorrentes

Vale ressaltar que alta frequência de pesadelos também é um dos principais sintomas da ansiedade noturna, pois eles são tão intensos e vívidos, geralmente envolvendo situações de perigo, medo ou perda.

No entanto, tal situação faz com que as pessoas possam acordar no meio da noite com uma sensação de ansiedade intensa, ficando ainda mais difícil voltar a dormir e descansar o corpo de forma adequada.

4. Sensação de falta de ar

Outro sintoma bastante comum da ansiedade noturna é a sensação de falta de ar ou de sufocamento.

Há uma explicação científica sobre esse sintoma: quando há a ativação do sistema nervoso simpático, também conhecido como região responsável pela luta ou fuga, há a preparação do organismo para reagir ao perigo, o que acaba aumentando a frequência respiratória e também os batimentos cardíacos.

Também é importante ressaltar que essa sensação é assustadora e pode levar a um ciclo vicioso de ansiedade, já que a preocupação em respirar de forma adequada intensifica ainda mais os sintomas ansiosos.

5. Aumento dos batimentos cardíacos

Como citado anteriormente, devido ao sistema nervoso simpático, responsável por responder a estímulos de perigo e tensão, sabe-se que pessoas que sofrem de ansiedade noturna relatam um aumento na frequência cardíaca durante a noite.

Esse aumento dos batimentos cardíacos pode ser assustador para o indivíduo, tornando-se uma preocupação adicional que pode intensificar ainda mais a ansiedade, dificultando o relaxamento do corpo.

6. Inquietação

A inquietação também é um dos sintomas bastante presentes nas pessoas que possuem ansiedade noturna, já que elas podem se sentir agitadas ou inquietas, o que dificulta ao acomodar-se na cama.

Assim, quem lida com esse sintoma pode ter dificuldade em encontrar uma posição confortável, além de permanecer com as pernas inquietas e até mesmo experimentar uma sensação geral de desconforto físico.

7. Pensamentos obsessivos

A noite é o período mais propício para que os pensamentos obsessivos possam se intensificar, tornando-se ainda mais difíceis de controlar.

Isso ocorre, pois quando o corpo está se preparando para descansar, há a diminuição dos estímulos, abrindo espaço para esse tipo de pensamento.

Quem lida com esse sintoma pode ficar preso em padrões de pensamentos negativos, preocupações repetitivas ou até mesmo medos irracionais, o que pode levar a um estado de ansiedade constante, dificultando o processo de adormecer.

8. Tensão muscular

A ansiedade noturna também pode ocasionar na tensão muscular, que pode causar dores, desconforto ou até mesmo dificuldade em relaxar de forma adequada.

A rigidez comumente aparece na região dos ombros, pescoço e mandíbula, afetando a qualidade do sono.

9. Solidão

O período da noite é um dos momentos em que grande parte das pessoas se sentem sozinhas, inclusive por causa da diminuição de movimento e barulho.

Além disso, devido ao período de sono comumente ser de descanso para muitas pessoas, há maior dificuldade em buscar ajuda. Por essa razão, pode haver o agravamento da ansiedade e a sensação de sobrecarga emocional.

10. Fadiga e exaustão durante o dia

A fadiga é um dos sintomas mais evidentes em pessoas que possuem ansiedade noturna, sendo muitas vezes o resultado de outros sintomas, como o excesso de pensamentos durante a noite e a insônia.

O que é ansiedade noturna?

A ansiedade noturna é um fenômeno no qual os sintomas de ansiedade se intensificam durante a noite, dificultando o processo de adormecer e impedindo o descanso adequado do corpo.

É importante ressaltar que esse tipo de ansiedade pode afetar todas as faixas etárias e pode ainda estar associada a diferentes transtornos psicológicos, tais como transtorno de ansiedade generalizada, síndrome de pânico, depressão, transtorno de estresse pós-traumático e fobias específicas.

Como controlar os sintomas da ansiedade?

É fundamental destacar a importância de procurar um atendimento profissional e especializado para diagnosticar e tratar a ansiedade.

Os profissionais da área, tais como psicólogos e psiquiatras, podem indicar os cuidados e tratamentos de acordo com a gravidade do paciente.

Para melhorar o quadro de saúde, pode ser orientado desde a adoção de hábitos saudáveis até o tratamento medicamentoso.

Em conjunto com a avaliação e acompanhamento profissional, também podem ser adotadas medidas complementares, como:

  • Praticar exercícios físicos;
  • Estabelecer uma rotina de sono consistente;
  • Criar um ambiente propício ao sono (tranquilo e organizado, por exemplo);
  • Praticar técnicas de relaxamento;
  • Limitar a exposição a estímulos antes de dormir (como dispositivos eletrônicos);
  • Dedicar-se a um hobby.

Como identificar a ansiedade noturna?

É um grande desafio identificar a ansiedade noturna, já que cada indivíduo possui sua própria rotina e enfrenta diversos problemas ao longo do dia.

Porém, através de consultas, avaliação dos sintomas e descarte de outras condições de saúde que podem estar relacionadas à ansiedade noturna, é possível diagnosticar o problema.

É de extrema importância sempre procurar um profissional da saúde, como psicólogos e psiquiatras, para evitar o agravamento da ansiedade e prevenir novos sintomas.

Causas da ansiedade noturna

As causas da ansiedade noturna são variadas, já que as pessoas expostas a diversos fatores podem desencadear essa condição ou até mesmo contribuir para sua piora.

Mas entre algumas dos fatores que podem desencadear esse problema de saúde mental, estão:

  • Estresse e pressão do dia a dia;
  • Falta de uma rotina de sono;
  • Excesso de preocupações;
  • Outros transtornos mentais;
  • Problemas hormonais;
  • Traumas passados;
  • Síndrome de Burnout;
  • Falta de hábitos saudáveis.

Vale ressaltar que a ansiedade noturna pode ser causada também por uma combinação de fatores físicos, psicológicos e até mesmo ambientais.

Conclusão

Como mostrado no post sobre os 10 sintomas da ansiedade noturna, embora esse problema de saúde mental possa causar prejuízos para o bem-estar do indivíduo, ao ser diagnosticado, pode ser tratado.

Por essa razão, é recomendado buscar ajuda profissional ao notar os sintomas, aumento da frequência e intensidade.

Quando não tratada, a ansiedade noturna pode desencadear problemas e doenças que afetam a saúde mental e física, como perda da memória, dificuldade de concentração e diminuição da energia.

24/10/2023   •   há 7 meses