Medprev
Saúde mental

Pensamentos intrusivos: o que é, como identificar e controlar

pensamentos-intrusivos-o-que-e-como-identificar-e-controlar.png

O cérebro está constantemente trabalhando, formulando novos e diferentes pensamentos e, na maioria das vezes, todo esse fluxo intenso do raciocínio não é consciente. Embora uma grande parte dos pensamentos seja inofensiva, simples e corriqueira, alguns podem ser assustadores, incomuns e trazer prejuízos para a saúde física e mental.

É possível criar ou aumentar medos, apenas imaginando coisas que nem aconteceram. Ideias surgem de repente e nem sempre são esquecidas.

Geralmente, os pensamentos intrusivos obsessivos surgem em momentos em que a ansiedade está mais intensa, porém esse fator não é estritamente necessário para o surgimento desse tipo de pensamento.

Saiba mais sobre os pensamentos intrusivos: o que é, como identificar e controlar a seguir!

O que são pensamentos intrusivos?

Os pensamentos intrusivos, também conhecidos como pensamentos obsessivos, são descontroles, ou seja, pensamentos inadequados que surgem na mente e não podem ser ignorados facilmente.

Para a maioria das pessoas, os pensamentos intrusivos são apenas um inconveniente passageiro que não implica em consequências ou impactos maiores.

Eles são pensamentos normais que ocorrem como forma do cérebro interpretar riscos e se preparar para situações de perigo.

A mente pode criar cenários absurdos em diferentes situações, como ter receio de quebrar algo de grande valor ou tropeçar ao caminhar em um palco, por exemplo.

É importante salientar que nem todos os pensamentos intrusivos são perigosos, mas comumente estão ligados a um medo ou experiência negativa, como um trauma que não foi processado.

Esses pensamentos obsessivos, em grande frequência, podem estar relacionados à ansiedade, já que procurar antecipar situações pode causar nervosismo e preocupação excessiva.

Sintomas dos pensamentos intrusivos

Os sintomas dos pensamentos intrusivos podem variar amplamente e, muitas vezes, estão relacionados a transtornos mentais específicos, incluindo:

Reconhecer esses sintomas é um passo importante para buscar ajuda profissional e tratamento adequado. Descubra a seguir sobre como esses pensamentos podem se manifestar:

1. Medo de causar dano a si mesmo ou a outros

Este é um sintoma comum de pensamentos intrusivos, onde a pessoa tem medo de causar ferimentos a si mesma ou a outros, intencionalmente ou acidentalmente. Esses pensamentos podem ser extremamente perturbadores e angustiantes.

2. Fantasias perturbadoras e inadequadas

Pensamentos intrusivos também podem assumir a forma de fantasias perturbadoras e inadequadas, que podem incluir imagens ou pensamentos sobre atividades sexuais inapropriadas ou violentas, por exemplo. Essas fantasias muitas vezes causam grande desconforto emocional.

3. Pensamentos violentos sobre morte ou suicídio

Algumas pessoas experimentam pensamentos intrusivos relacionados à violência, morte ou suicídio. Esses pensamentos são intensos e persistentes, podendo levar a pessoa a sentir-se impotente para detê-los.

4. Pensamentos trágicos relativos a si mesmo ou a conhecidos

Os pensamentos intrusivos também envolvem tragédias imaginárias relacionadas a si mesmos ou a pessoas próximas. Isso pode desencadear uma ansiedade significativa e preocupação constante.

5. Preocupação constante com detalhes

Algumas pessoas com pensamentos intrusivos têm uma preocupação extrema com detalhes, como verificar repetidamente se as portas estão trancadas ou manter objetos extremamente organizados.

Esses comportamentos são uma tentativa de lidar com a ansiedade associada aos pensamentos intrusivos.

6. Repetição de rituais compulsivos

Para aliviar a angústia causada pelos pensamentos intrusivos, muitas pessoas desenvolvem rituais compulsivos, como lavar as mãos repetidamente, contar objetos ou realizar outras ações com frequência.

7. Medo excessivo de doenças

Pensamentos intrusivos podem manifestar-se na forma de um medo intenso de contrair ou transmitir doenças. Isso pode levar a comportamentos obsessivos, como evitar o contato com outras pessoas ou ambientes considerados com risco de contaminação.

8. Necessidade exagerada de limpeza, organização e simetria

Alguns indivíduos com pensamentos intrusivos sentem uma necessidade extrema de manter limpeza, organização e simetria em suas vidas. Isso pode resultar em um perfeccionismo extremo e em um constante estresse para manter esses padrões.

Além disso, esses pensamentos intrusivos não se limitam a um tipo específico de pessoa: todos estão suscetíveis a eles.

Inclusive, podem ocorrer a qualquer momento, já que o cérebro continua a processar informações constantemente.

Tipos de pensamentos intrusivos

Os pensamentos intrusivos podem ocorrer de diversas formas e podem causar desconforto e até mesmo prejudicar o cotidiano de quem sofre com eles.

De maneira geral, a forma de manifestação dos pensamentos invasivos pode ser dividido em três principais categorias: agressivos, sexuais e de dúvida.

Pensamentos agressivos

O pensamento agressivo é aquele que traz à mente imagens violentas e a pessoa pode se imaginar executando atitudes agressivas e violentas em entes queridos ou em um desconhecido fisicamente próximo, por exemplo.

Vale lembrar que pensar em ações agressivas não significa que elas serão realizadas.

Outro ponto está relacionado ao estresse que a pessoa com o pensamento pode sofrer, já que apenas imaginar o cenário pode ser suficiente para causar mal-estar.

Pensamentos sexuais

Os pensamentos sexuais estão relacionados principalmente a interesses e curiosidades sobre atividades sexuais, incluindo desde questionamentos repetitivos sobre a sexualidade, até a orientação sexual.

Às vezes, também podem ser pensamentos voltados à possível infidelidade dos parceiros ou questionamentos excessivos quanto à orientação sexual própria.

Pensamentos de dúvida

Os pensamentos de dúvida se manifestam através do questionamento das próprias habilidades, ou seja, não ter a segurança sobre a execução de uma determinada ação, por exemplo.

Esses pensamentos podem levar à repetição de comportamentos, como checar várias vezes se a porta está trancada ou se o gás do fogão foi desligado.

Embora possam causar um alívio momentâneo quando a ação é repetida, o questionamento pode retornar em seguida.

Diagnóstico e tratamento dos pensamentos intrusivos

Lidar com pensamentos intrusivos não é necessariamente prejudicial.

Na verdade, eles podem fazer parte do processo de autodescoberta e indicar áreas em que é preciso prestar mais atenção.

Também é importante compreender que esses pensamentos não representam necessariamente uma realidade: são apenas ideias e o fato de tê-los não significa que se tornarão realidade.

Atualmente, a terapia com psicólogos e o acompanhamento com psiquiatras é o tratamento mais eficaz para o controle desses pensamentos.

Embora haja evidências de que a supressão ativa de memórias pode ser útil, ainda não existe um plano de tratamento específico baseado nessa abordagem.

Porém, com algumas dicas, é possível melhorar o controle dos pensamentos intrusivos:

1. Prática da Atenção Plena (Mindfulness)

A atenção plena é uma técnica que baseia-se na consciência sobre o momento presente sem julgamento.

Além de seus benefícios pessoais, como redução do estresse, ela pode ser aplicada para ajudar a reconhecer esses pensamentos, além de enfrentá-los sem reagir de maneira prejudicial.

2. Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)

A Terapia Cognitivo-Comportamental é uma abordagem terapêutica indicada para tratar pensamentos intrusivos, uma vez que se concentra em identificar padrões de pensamento negativos e fornece estratégias para reestruturá-los de maneira mais saudável.

3. Exercício físico

A atividade física regular não é benéfica somente para a saúde física, mas também desempenha um papel significativo na saúde mental.

O exercício ajuda a reduzir a ansiedade e a melhorar o humor, o que, por sua vez, pode diminuir a frequência dos pensamentos intrusivos.

4. Técnicas de relaxamento

Práticas de relaxamento, como a respiração profunda, meditação e relaxamento muscular progressivo, podem ser incorporadas nas rotinas diárias.

Essas técnicas ajudam a reduzir o estresse e a ansiedade, tornando mais fácil lidar com pensamentos intrusivos, especialmente em momentos de pressão.

5. Evitar gatilhos

Identificar e evitar gatilhos que desencadeiam pensamentos intrusivos é uma estratégia útil. Isso pode incluir evitar lugares, situações ou pessoas que desencadeiam esses pensamentos.

6. Aceitação

Promover a aceitação é fundamental. É importante compreender que os pensamentos intrusivos são normais e que todos têm pensamentos absurdos de vez em quando.

Se esses pensamentos trazem sofrimento ou outros efeitos negativos, é importante buscar ajuda especializada para ajudar a controlá-los.

Conclusão

Como visto no post "Pensamentos intrusivos: o que é, como identificar e controlar", esses pensamentos são uma parte normal da experiência humana, mas podem se tornar problemáticos quando são frequentes, intensos e causam sofrimento.

Com o tratamento adequado, é possível aprender a lidar com eles e melhorar a saúde mental geral.

Além disso, estratégias como a atenção plena, a TCC e as técnicas de relaxamento, podem ser úteis para ajudar a controlar os pensamentos intrusivos e reduzir o impacto na saúde mental.

08/02/2024   •   há 20 dias