Blog

Doenças

Dia Nacional de Combate à Tuberculose: 5 dúvidas respondidas sobre a doença

A tuberculose é uma doença que está presente entre os seres humanos desde a Antiguidade. Estima-se que pelo menos 1% da população mundial esteja infectada com tuberculose latente, mas nem […]

A tuberculose é uma doença que está presente entre os seres humanos desde a Antiguidade. Estima-se que pelo menos 1% da população mundial esteja infectada com tuberculose latente, mas nem todos manifestarão esses sintomas ao longo da vida.

No passado, antes da descoberta dos antibióticos, os índices de mortalidade pela doença eram altos: três a cada quatro pessoas que contraiam a doença morriam. Ainda assim, a tuberculose é hoje a quarta maior causa de morte no Brasil, registrando cerca de 4,5 mil óbitos todos os anos e matando mais até mesmo do que o AIDS.

17 de novembro: Dia Nacional de Combate à Tuberculose

Alertar a população sobre a importância da prevenção e do tratamento da doença está entre os principais objetivos da criação do Dia Nacional de Combate à Tuberculose, celebrado no dia 17 de novembro. Ainda que a doença seja amplamente reconhecida, há muitas dúvidas junto à população sobre as formas de tratamento. A boa notícia é que essa é uma condição que tem cura, desde que o diagnóstico e o tratamento sejam realizados de forma precoce.

A tuberculose é uma infecção contagiosa que afeta principalmente os pulmões. Ela é causada por uma bactéria com características específicas chamada Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch.

Em 10% a 15% dos casos, essa doença pode atingir outros órgãos, recebendo então o nome de tuberculose extrapulmonar. Depois dos pulmões, os locais mais afetados são a pleura (membrana que recobre o pulmão) e os gânglios linfáticos (ínguas), mas ela também pode se instalar nos ossos, na meninge, nos rins, entre outros locais.

Nos últimos anos, observou-se um aumento nos casos de tuberculose entre homens de 25 a 40 anos de idade. Porém, em geral, os grupos mais vulneráveis são indígenas, pessoas com HIV/Aids, indivíduos privados de liberdade e pessoas em situação de rua, pois a doença está fortemente associada às defesas do organismo e às condições socioeconômicas da população.

Perguntas e respostas: 5 dúvidas respondidas sobre a tuberculose

Listamos aqui as cinco dúvidas mais comuns quando o assunto é tuberculose. Conhecer os sintomas, as formas de transmissão e as alternativas de tratamento é fundamental para minimizar os riscos relacionados à doença.

1. Quais são os principais sintomas?

Ainda que exista um conjunto de sintomas comumente associados à tuberculose, as reações à doença podem variar de paciente para paciente. As manifestações mais comuns incluem os seguintes sintomas:

  • Tosse que persiste por mais de duas semanas, seja seca ou com secreção (catarro);
  • Eliminação de catarro espesso;
  • Febre (geralmente à tarde);
  • Suor noturno;
  • Falta de apetite;
  • Emagrecimento;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Falta de ar;
  • Expectoração de grande quantidade de sangue.

2. Como é a transmissão?

A tuberculose é transmitida pelo ar quando uma pessoa sem a doença inala gotículas de saliva expelidas por uma pessoa infectada (na fase ativa da doença) durante a fala, espirros ou tosse. 

Essas gotículas carregam o bacilo de Koch, que entra nos pulmões da pessoa que inalou os aerossóis e provoca uma inflamação em seus tecidos, originando tosse e muco (catarro). Além disso, a bactéria destrói a estrutura dos alvéolos pulmonares e rompe os vasos sanguíneos, fazendo com que a pessoa apresente tosse com sangue.

3. Há uma cura?

Sim, trata-se de uma doença perfeitamente curável, mas mesmo nos casos mais simples o tratamento é considerado de médio a longo prazo. O problema pode ser resolvido em cerca de seis meses, mas casos mais complexos podem levar até um ano e meio de tratamento.

Boa parte do tratamento é feito a partir da administração de medicamentos, após a realização de uma série de exames laboratoriais que comprovem a doença. Pacientes com tuberculose do tipo multirresistente podem precisar de uma quantidade maior de medicamentos, além de apresentarem mais sintomas.

4. Como descobrir se eu tenho tuberculose?

A partir da lista de sintomas que mencionamos acima, o paciente deve procurar um médico imediatamente. A tuberculose pulmonar é a manifestação mais comum da doença, e poderão ser solicitados exames como radiografia do tórax e pesquisa de microbactérias na expectoração.

Quando a doença se manifesta em outras regiões, como nos rins ou no intestino, o diagnóstico é mais complexo e pode ser necessário recorrer a exames de biopsia para comprovação do problema. Em ambos os casos, somente um médico será capaz de avaliar a condição exata do paciente. Agende uma consulta pelo Medprev em caso de sintomas manifestos.

5. Como posso me prevenir do contágio por tuberculose?

A vacina BCG é a única forma disponível de prevenção contra a tuberculose. Ela impede que formas graves da doença se manifestem na infância, mas somente a vacina não é suficiente para impedir que um paciente desenvolva um quadro da doença na idade adulta.

São consideradas populações de risco crianças menores de cinco anos, infectados por HIV, dependentes químicos, alcoólatras, pessoas em situação de rua e pacientes em tratamento com imunossupressores.

…..

Não deixe que um quadro de tuberculose se agrave pela falta de orientação médica. Ao perceber qualquer um dos sintomas da doença, agende uma consulta pelo Medprev com um clínico geral para que ele possa fazer uma avaliação mais minuciosa a partir de exames mais detalhados. Quanto antes o problema for combatido, maiores são as chances de recuperação plena.

Dicas de saúde, novidades e soluções no seu e-mail, cadastre-se já!

Fique tranquilo, não enviamos spam para nossos pacientes.