Medprev
Doenças

Candidíase: o que é, principais sintomas e tratamentos

Revisado pelo(a) Dra. Melissa Amoroso Custodio, CRM/PR 39552 , Ginecologia e Obstetrícia - RQE 34292

candidiase-o-que-e-principais-sintomas-e-tratamentos.png

A candidíase é uma infecção fúngica que acomete tanto os homens quanto as mulheres.

Embora seja uma das infecções mais comuns, pela falta de informação, muitas pessoas não sabem que estão com o problema.

A sua forma mais recorrente é a conhecida candidíase vaginal, que ocorre quando o fungo Candida, presente na flora vaginal, cresce de forma descontrolada causando a infecção.

Mas como evitar esse problema? Quais as formas de tratamento? Existe remédio caseiro para tratar essa infecção?

Descubra mais sobre a candidíase: o que é, principais sintomas e tratamentos a seguir!

O QUE É A CANDIDÍASE?

A candidíase é uma infecção causada pela proliferação desordenada do fungo Candida albicans, que naturalmente habita o nosso corpo sem causar prejuízos.

Quando ocorre esse crescimento descontrolado, por fatores como baixa imunidade ou alimentação inadequada, esse microrganismo causa uma infecção que traz muito incômodo.

Embora o seu tipo mais conhecido seja o que acomete o sistema genital feminino, esse fungo pode causar infecção em outras partes do corpo como:

  • pele;
  • boca;
  • pênis;
  • trato urinário.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE CANDIDÍASE?

Entre os tipos de candidíase, estão:

  • Candidíase masculina - causada, principalmente, pela falta de higiene íntima, esse tipo afeta o pênis, causando sintomas como inchaço e vermelhidão local, secreção esbranquiçada, queimação ao urinar e muita coceira;

  • Candidíase oral - popularmente conhecida como "sapinho", esse tipo de candidíase tem como principal causa a baixa imunidade. Muito comum em bebês, devido ao seu sistema imunológico ainda imaturo, é caracterizada por lesões brancas na língua, na parede interna das bochechas e no palato. A candidíase oral é facilmente transmitida de uma pessoa para outra através do beijo;

  • Candidíase no trato urinário - devido ao uso de sondas urinárias, esse tipo de infecção é muito comum em pacientes hospitalizados. Quando sintomática, causa dor para urinar e micção frequente;

  • Candidíase cutânea - causada por exemplo, por fatores como má higiene, umidade, uso excessivo de antibióticos ou doenças infecciosas, a candidíase de pele ocorre geralmente na virilha, axilas, bolsa escrotal ou embaixo das mamas. Além de erupções avermelhadas na pele, pode causar coceira e escaras;

  • Candidíase vaginal - causada pela proliferação descontrolada do fungo Candida na flora vaginal, essa infecção provoca secreção, inflamação e muita coceira na região genital da mulher. Algumas mulheres sofrem com a chamada candidíase de repetição, ou seja, quando ocorre quatro ou mais episódios da infecção dentro do intervalo de um ano. Nesses casos, é importante procurar orientação médica para um correto diagnóstico e tratamento do problema.

SINTOMAS DA CANDIDÍASE

A candidíase pode se manifestar de diversas formas de acordo com o tipo:

  • Sintomas da candidíase vaginal - coceira na região genital, ardência ao urinar, corrimento de aspecto grosso e esbranquiçado, vermelhidão na área genital, inchaço na vagina e vulva, dor durante a relação sexual;

  • Sintomas da candidíase masculina - coceira no pênis, ardência ao urinar, corrimento de aspecto esbranquiçado, vermelhidão e inchaço no pênis, desconforto durante a relação sexual e placas esbranquiçadas na cabeça do pênis;

  • Sintomas da candidíase oral - aftas na língua ou na bochecha, camadas esbranquiçadas na boca, dor e ardência na região afetada e sinais de inflamação no esôfago;

  • Sintomas da candidíase no trato urinário - dor ou queimação ao urinar, vontade frequente de urinar e urina muito escura e/ou com cheiro forte;

  • Sintomas da candidíase cutânea - pode se manifestar de diversas formas, como alterações nas unhas, manchas, carocinhos e placas avermelhadas na pele.

QUAIS FATORES CONTRIBUEM PARA O APARECIMENTO DA CANDIDÍASE?

O fungo Candida albicans está naturalmente presente no nosso organismo.

Contudo, diversos fatores externos e internos podem desequilibrar a flora, contribuindo para a proliferação desse microrganismo e causando prejuízos à saúde.

Entre os principais fatores, estão:

  • Baixa imunidade - quando o organismo está desequilibrado, a produção de fungos pode aumentar e causar sintomas que levam à doença;

  • Alterações emocionais - estresse e ansiedade podem diminuir a imunidade, aumentando as chances de desenvolver infecções, incluindo a candidíase;

  • Uso prolongado de antibióticos - uso de antibióticos de largo espectro pode levar ao crescimento de leveduras;

  • Uso de roupa íntima molhada - a combinação de umidade e alta temperatura facilita a proliferação dos fungos;

  • Gestação - as alterações hormonais comuns na gestação facilitam o desenvolvimento de fungos que provocam a candidíase;

  • Diabetes - devido à grande quantidade de açúcar no sangue, a diabetes não controlada favorece o desenvolvimento de fungos;

  • Alimentação inadequada - uma alimentação baseada em industrializados e açúcares facilita o desenvolvimento de fungos.

COMO A ALIMENTAÇÃO INFLUENCIA NA CANDIDÍASE?

A alimentação pode influenciar significativamente no aparecimento da candidíase.

Estudos já observaram que os fungos se proliferam em altas concentrações de glicose.

Além de ser prejudicial à saúde em geral, uma alimentação à base de industrializados, açúcares e bebidas alcoólicas pode agravar ou até ser a causa de infecções por fungos.

Portanto, moderar e, se possível, eliminar o consumo de açúcar é fundamental para reduzir o desconforto.

Para diagnóstico e tratamento da candidíase, é indicado consultar-se com um ginecologista, além de buscar apoio nutricional.

COMO PREVENIR A CANDIDÍASE?

A melhor forma de evitar a candidíase é através da prevenção.

Além de manter a boa higiene na região íntima (tanto do homem quanto da mulher), outras mudanças ajudam a prevenir a infecção, como:

  • Diminuir o consumo de açúcar - a glicose contribui para o desenvolvimento das células do fungo que causa a candidíase e deixa o ambiente mais ácido, o que favorece a proliferação de bactérias;

  • Seguir uma alimentação equilibrada - além de consumir frutas e legumes para reforçar a imunidade, é recomendado o consumo de alimentos anti-inflamatórios como peixes, cebola e linhaça;

  • Secar bem a região íntima - dessa forma evita-se a proliferação dos fungos;

  • Incluir probióticos à dieta (sob orientação médica) - além de fortalecer o sistema imunológico, o uso de probióticos ajuda a combater a proliferação dos fungos;

  • Uso de chás e remédios caseiros - além de ajudar a aliviar a irritação e a coceira, alguns tipos de chás como a camomila combatem a multiplicação dos microrganismos causadores da candidíase;

  • Procurar ajuda médica ao perceber os primeiros sintomas - dessa forma, com diagnóstico e tratamento precoces, as chances de cura da candidíase são maiores.

QUAL O TRATAMENTO PARA CANDIDÍASE?

Uma vez diagnosticada a candidíase, geralmente o tratamento envolve o uso de antifúngicos e pomadas, como:

  • Candidíase vaginal - na maioria dos casos, além de medicamentos via oral, o tratamento inclui o uso tópico de pomadas na região externa da vagina ou dentro do canal vaginal;

  • Candidíase masculina - além de medicamentos via oral, o tratamento inclui o uso de antifúngicos na forma de pomadas ou cremes;

  • Candidíase oral - além da higiene bucal, o tratamento inclui o uso de antifúngicos na forma de solução oral ou na forma de comprimido para os casos mais graves.

Contudo, dependendo do tipo da infecção, fazer uso de remédios caseiros também pode ajudar a aliviar o incômodo, mas é importante lembrar que somente um médico pode indicar o tratamento adequado de acordo com a necessidade do paciente.

Por exemplo:

  • Banho de assento com camomila - famosa por suas propriedades calmantes e anti-inflamatórias, a camomila ajuda a aliviar a irritação e a coceira;

  • Óleo de orégano - com propriedades antifúngicas, ajuda a recuperar a saúde das mucosas;

  • Limpeza com chá de poejo - umedecido em um chumaço de algodão ou gaze, o chá de poejo é um grande aliado no combate à reprodução dos fungos que causam a candidíase oral.

QUAL MÉDICO TRATA A CANDIDÍASE?

O tratamento da candidíase, deve ser realizado de acordo com a região do corpo acometida pela infecção e indicado por um médico com a especialidade correspondente.

  • Candidíase masculina - o tratamento deve ser indicado por um Urologista;

  • Candidíase oral - o tratamento deve ser indicado por um pelo clínico geral, estomatologista ou pediatra (no caso dos bebês e crianças);

  • Candidíase no trato urinário - o tratamento deve ser indicado por um urologista ou ginecologista;

  • Candidíase cutânea- o tratamento deve ser indicado por um dermatologista;

  • Candidíase vaginal - o tratamento deve ser indicado por um ginecologista.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DA CANDIDÍASE?

Para diagnosticar a candidíase, além de avaliar as queixas do paciente e observar o aspecto da área infectada, o médico geralmente comprova o diagnóstico através de exames laboratoriais.

CANDIDÍASE TEM CURA?

Geralmente, quando tratada de forma adequada, a candidíase tem cura.

Contudo, podem ocorrer casos de infecções de repetição, como na candidíase recorrente ou crônica, havendo indicação para tratamento sempre que a infecção voltar ou tiver maior duração.

CONCLUSÃO

Como visto no post “Candidíase: o que é, principais sintomas e tratamentos”, com uso de medicamentos antifúngicos e uma mudança de hábitos, a candidíase pode ser tratada e prevenida.

Contudo, em casos de infecção recorrente pela proliferação desordenada do fungo Candida albicans, é essencial procurar atendimento médico.

22/04/2024   •   há 2 meses


Postagem verificada!
CRM/PR 39552 ,  Ginecologia e Obstetrícia - RQE 34292

Fique por dentro das campanhas e cupons da Medprev

Declaro que li e aceito os e a

Relacionados

6 sintomas que podem indicar pedra na vesícula

Sarampo, catapora e rubéola: saiba a diferença

Quais são os principais sintomas da AIDS?

O que é Hepatomegalia? Conheça os sintomas, tratamentos, causas e como se prevenir

Como prevenir e tratar herpes

Ver mais