BLOG MEDPREV

O que é Hepatomegalia? Conheça os sintomas, tratamentos, causas e como se prevenir

O inchaço do fígado pode ter diversas causas e indicar uma série de doenças. Saiba mais sobre o que é hepatomegalia e como ficar longe desse problema.

Você sabe o que é hepatomegalia? “Hepato” é uma palavra que está relacionada ao fígado, enquanto “megalia” significa um crescimento excessivo. Assim, podemos deduzir que a hepatomegalia se trata de um aumento anormal no tamanho do fígado, indicando a presença de uma doença nesse órgão (as chamadas hepatopatias).

Localizado no lado direito da porção superior do abdômen, o fígado é a maior glândula do corpo humano e é o nosso segundo maior órgão, ficando atrás apenas da pele – tanto que ele pesa de 3,0 a 3,5 quilos.

Essa glândula participa da digestão dos alimentos, do metabolismo das gorduras (por meio da produção da bile), da formação das proteínas, da síntese do colesterol e de diversas outras funções do nosso organismo, totalizando mais de 200 processos. Por isso, um problema no fígado pode ter consequências graves para todo o corpo.

Sintomas da hepatomegalia

A hepatomegalia em si não é uma doença, mas sim um sinal de que o fígado está passando por algum problema. Na fase inicial, o inchaço desse órgão não apresenta sintomas, pois ele não envia impulsos nervosos ao cérebro para avisar que algo está errado.

Porém, quando esse inchaço é exagerado, o fígado aumentado pode causar desconforto abdominal e se tornar sensível ao exame de palpação feito pelo médico. Nesse caso, o paciente pode apresentar outros sintomas, por exemplo:


  • Cansaço;

  • Dor no quadrante superior direito do abdômen;

  • Falta de ar;

  • Fezes escuras ou com sangue;

  • Inchaço dos membros inferiores;

  • Inchaço e sensibilidade do abdômen;

  • Náuseas e vômitos com sangue;

  • Pele amarelada (icterícia);

  • Perda de peso.

O diagnóstico da hepatomegalia é feito a partir da descrição dos sintomas pelo paciente, do exame físico feito pelo médico para avaliar as dimensões do fígado e de exames de laboratório e imagem. Para determinar a causa do inchaço do fígado, ainda serão necessários mais exames conforme a suspeita do clínico, como radiografia, ecografia e tomografia, entre outros.

Causas da hepatomegalia

O aumento exagerado no tamanho do fígado pode ser causado por uma série de fatores, desde doenças na própria glândula (hepatopatias) até infecções e problemas em outros órgãos. Algumas das principais causas são:

  • Doença hepática causada pelo abuso de álcool;

  • Doença hepática causada por outros fatores;

  • Amiloidose: acúmulo de proteínas no fígado;

  • Esteatose: excesso de gordura no fígado (mais de 5% de seu peso);

  • Hepatites causadas por vírus (tipos A, B e C ou causada por mononucleose infecciosa);

  • Infecções que causam acúmulo de células inflamatórias: malária, leptospirose, abscessos hepáticos, infecção por yersínia;

  • Insuficiência cardíaca, causando acúmulo de sangue no fígado;

  • Obstrução das vias biliares (colédoco) ou da vesícula biliar por cálculos, popularmente conhecido como “pedra na vesícula”, ou inchaço dos dutos;

  • Obstrução do fluxo de saída de sangue do fígado (obstrução venosa);

  • Tumores não malignos localizados no fígado;

  • Alguns tipos de câncer, como linfomas, leucemias e tumores no próprio fígado;

  • Metástase de tumores localizados em outros órgãos.

Os fatores de risco que aumentam as chances de uma hepatomegalia são o uso abusivo de álcool, medicamentos e suplementos (incluindo vitaminas), hepatite A, B ou C, obesidade ou excesso de peso e dieta inadequada.

Tratamentos para hepatomegalia

O tratamento da hepatomegalia varia conforme a sua causa. Assim, se o problema for originado pelo uso excessivo de álcool ou medicamentos, por exemplo, o tratamento incluirá medidas para interromper o abuso e recuperar as lesões.

Quando a causa inclui outras doenças, o tratamento será específico para essas enfermidades. Dessa forma, os cuidados para tratar a hepatomegalia causada por um câncer podem incluir quimioterapia, assim como as infecções podem precisar de determinados tipos de medicamentos.

Se a hepatomegalia não for tratada, ela pode se transformar em uma insuficiência hepática, que se caracteriza por complicações como icterícia, tendência a sangramentos e hematomas, hipertensão, ascite (acúmulo de líquidos no abdômen), encefalopatia hepática (deterioração das funções cerebrais por acúmulo de toxinas no sangue) e hemorragias gastrointestinais.

Como se prevenir contra a hepatomegalia

A prevenção da hepatomegalia consiste basicamente em hábitos de vida saudáveis, como seguir uma dieta equilibrada, que seja pobre em gorduras e rica em frutas, verduras, legumes, grãos integrais e proteínas magras. Evitar o consumo excessivo de álcool também é fundamental (uma dose diária para mulheres e duas para os homens ou mesmo abstinência total quando o paciente já tem algum problema no fígado).

Da mesma forma, deve-se evitar o consumo de medicamentos, suplementos e vitaminas sem supervisão médica, pois essas substâncias também podem causar uma intoxicação ou lesão no fígado, aumentando os riscos do crescimento anormal.

Além disso, devem-se adotar medidas para prevenir as hepatites virais. Existem vacinas para as hepatites A e B, mas não para a C. No caso da hepatite A, que é transmitida pelos alimentos e pelo contato com pessoas infectadas, a prevenção também é feita com uma higiene adequada depois de ir ao banheiro e antes de comer e preparar os alimentos.

Já para as hepatites B e C, que são transmitidas pelo sangue, a prevenção é feita evitando o uso de drogas injetáveis, o compartilhamento de objetos de higiene pessoal (como lâminas de barbear e escova de dente) e instrumentos de manicure/tatuagem e as relações íntimas sem preservativo. Utilizar luvas, máscaras e outros equipamentos de proteção individual é essencial para profissionais que lidam com fluidos corporais de outras pessoas, como enfermeiros e tatuadores.

Por fim, ficar longe do tabaco e controlar o peso também são formas de prevenir o inchaço do fígado, pois esses também são fatores que aumentam o risco desse problema. Agora que você já sabe o que é hepatomegalia, você tem mais motivos para adotar novos hábitos de vida e manter suas consultas de rotina em dia.

 

Fonte(s): Minuto Saúde, Minha Vida, Abc Med e Instituto Forlanini

Tags: Saúde, cuidado do corpo, medprev, hospital, clínicas, agendamento, hepatomegalia, fígado, corpo humano, glândula

Voltar para   BLOG MEDPREV

posts relacionados
Você já ouviu falar da Síndrome da Cabeça Explosiva?
Leia mais...
Tudo sobre enxaqueca: o que é, sintomas, causas e tratamento
Leia mais...