Blog

Saúde

Ecografia 2D, 3D e 4D: qual é a diferença?

Quanto maior for a qualidade de uma imagem, melhor será a nossa percepção sobre aquilo que é demonstrado. Essa regra se aplica a qualquer foto ou vídeo com os quais […]

ecografia

Quanto maior for a qualidade de uma imagem, melhor será a nossa percepção sobre aquilo que é demonstrado. Essa regra se aplica a qualquer foto ou vídeo com os quais nos deparamos em nosso cotidiano: celulares, TVs e monitores todos têm na resolução um aspecto técnico importante.

Os mesmos princípios também se aplicam aos exames de imagem, como as ecografias e ultrassonografias. Entretanto, aqui é possível ir além da resolução: a dimensão das imagens é capaz de proporcionar uma percepção ainda mais detalhada do feto, aumentando o vínculo entre os pais e a criança.

Ecografia 2D, 3D e 4D: qual é a diferença?

A quantidade de dimensões e a resolução da imagem exibida são as características mais marcantes entre as opções 2D, 3D e 4D. Na ecografia bidimensional (2D), as imagens são exibidas em preto e branco e têm um aspecto similar ao de uma chapa de Raio-X. Os contornos não ficam tão claros e análises que requeiram a percepção do volume não são possíveis.

Já as ecografias do tipo 3D são tridimensionais, ou seja, apresentam uma dimensão a mais em relação à opção anterior. A sensação que se tem nas imagens é a de que estamos dentro do útero, podendo nos mover em volta do feto. Essa alternativa é hoje uma das mais comuns encontradas nas clínicas e permite um bom nível de detalhamento para análise.

Porém, é possível ir além ainda com as ecografias 4D. A diferença aqui não está na adição de uma quarta dimensão, mas sim na possibilidade de visualizar as imagens 3D em tempo real. Em outras palavras, é como se houvesse uma câmera ligada dentro da barriga da mãe, permitindo a exibição em tempo real dos movimentos do feto.

Quando devo recorrer a uma ecografia 4D?

Em linhas gerais, as ecografias 2D e 3D são suficientes para tirar todas as dúvidas que os médicos possam ter com relação ao estado de saúde do feto na barriga da mãe. Você pode agendar um exame como esse pela Medprev, seguindo a orientação médica sobre o grau de detalhamento requerido em cada análise.

Entretanto, como acontece com todas as tecnologias, a ideia das ecografias 4D é proporcionar um grau maior de realismo na exibição das imagens. Como com a ecografia 4D é possível observar o feto se movimentando dentro da barriga, inclusive sorrindo, bocejando ou dormindo, isso faz com que o vínculo dos pais com a criança se estabeleça de maneira ainda mais forte.

E mais: além de servir como uma ferramenta de análise para os profissionais de saúde, os vídeos de ecografias em 4D podem ser guardados pelos pais como uma recordação. Você pode salvar o conteúdo em CD, DVD ou arquivo digital e reproduzi-lo no seu computador ou smartphone sempre que desejar.

O que preciso saber antes de realizar uma ecografia?

Embora seja considerado um exame moderno, a ecografia é extremamente simples em sua forma de execução. Não há necessidade de nenhuma preparação prévia para se submeter ao exame e ela não provoca nenhum tipo de dor ou reação nem para a mulher e nem para o bebê.

Os exames duram em média entre 30 e 60 minutos, podendo variar ainda em função da posição do feto ou das tecnologias utilizadas. Como já mencionamos, os exames do tipo 2D e 3D são suficientes para atender as necessidades da maioria das gestantes, mas recorrer às versões 4D pode proporcionar uma experiência inesquecível.

Em termos de custos, os exames do tipo 4D são mais caros e têm menor disponibilidade, mas pela Medprev é possível agendar qualquer um deles sem maiores complicações.

Vale lembrar ainda que as futuras mamães devem realizar ao menos três ecografias durante a gravidez:

  • Ecografia obstétrica do 1º trimestre, entre a 11ª e 13ª semana de gravidez
  • Ecografia obstétrica do 2º trimestre, entre a 20ª e 22ª semana de gravidez
  • Ecografia obstétrica do 3º trimestre, entre a 30ª e 32ª semana de gravidez

Além disso, em casos de gravidez de risco, ecografias complementares podem ser solicitadas pelo médico responsável pelo acompanhamento da paciente.