Blog

Prevenção

Como são produzidas e como as vacinas funcionam?

Nunca uma vacina foi tão esperada como agora. Diversas instituições públicas e privadas correm contra o tempo na tentativa de desenvolver uma vacina que seja capaz de conter os avanços […]

como as vacinas funcionam

Nunca uma vacina foi tão esperada como agora. Diversas instituições públicas e privadas correm contra o tempo na tentativa de desenvolver uma vacina que seja capaz de conter os avanços do coronavírus. Essa discussão nos leva à uma pergunta: você sabe como as vacinas funcionam?

O processo costuma levar muitos anos, mas dadas as circunstâncias é bem provável que os cientistas batam um novo recorde. Porém, por mais ágil que os processos possam ser, ainda assim não há como pular etapas: é preciso realizar muitos testes para que haja uma garantia de que ela não terá efeitos colaterais para os seres humanos. 

Você já parou para pensar em como é o processo de desenvolvimento de uma vacina?

Como são produzidas as vacinas?

Tudo começa nos laboratórios de pesquisa. O primeiro passo dos cientistas é identificar o agente causador da doença. No caso mais recentes, falamos do coronavírus. É preciso compreender não apenas as suas características, mas a maneira como ele se liga às células do nosso corpo ou à corrente sanguínea. 

Os pesquisadores então avaliam centenas de moléculas e buscam a formulação ideal da vacina. Aquela que possa ser eficaz, sem desperdícios, e que não traga efeitos colaterais nocivos para o organismo. Somente depois desse período de testes é que se inicia a chamada fase “pré-clínica”. Nesse momento, são realizados testes em animais que possam comprovar a eficácia da composição.

Somente quando elas são aprovadas é que tem início a fase clínica. Ela é composta de três etapas:

Fase 1: o primeiro objetivo é testar a segurança das vacinas. Para isso, os testes são aplicados em grupos pequenos de voluntários (no máximo 100 pessoas), que precisam ser adultos e saudáveis.

Fase 2: a segunda fase também tem relação com a segurança, mas aqui o número de participantes é mais amplo. A ideia é analisar o mesmo efeito diante de grupos maiores e menos homogêneos.

Fase 3: se a vacina for aprovada nas duas primeiras fases, parte-se para os testes de eficácia do produto. Nesse momento, milhares de pessoas podem ser testadas simultaneamente. O monitoramento segue por muitos anos, pois alguns efeitos colaterais podem aparecer apenas em longo prazo.

No caso específico da vacina contra o coronavírus, temos hoje diversos grupos nas mais variadas fases. Os mais avançados estão finalizando a fase 2 e iniciando a fase 3. Isso significa que um processo que em média leva três anos poderá ser concluído na metade do tempo, graças à força-tarefa dos cientistas.

Como as vacinas funcionam?

Uma vez que as vacinas são testadas e aprovadas, como é o funcionamento delas no nosso organismo? Existem variações entre elas, mas a lógica é similar a todas. O objetivo da vacina é estimular o organismo a produzir anticorpos contra germes, vírus e bactérias. Sempre que algum corpo estranho entra em nosso organismo, o sistema imunológico “luta” para imobilizá-lo e expulsá-lo.

A lógica da vacina é estimular o organismo a produzir anticorpos a partir da inoculação da bactéria ou do vírus em um estado inativo. Em outras palavras, um “vírus inativo” é implantado no corpo para que o organismo crie defesas contra ele. Assim, como o vírus ativo entre em contato com o corpo, o sistema imunológico já estará preparado para reconhecê-lo e combatê-lo.

Há diversos tipos de vacinas, como as inativadas, as toxoides, as imunoglobulinas e as vivas atenuadas. Cada uma delas têm particularidades no funcionamento, mas a lógica por trás da ativação no organismo é bastante parecida.

Vacinas obrigatórias que você deve tomar

No dia 17 de outubro comemora-se o Dia Nacional da Vacinação. O objetivo da data é conscientizar a população sobre a importância das vacinas e esclarecer os mais diversos mitos que indicam que elas podem fazer mal ou causar doenças. Isso não é verdade

Antes de tomar uma vacina, seja ela qual for, recomendamos que você agende uma consulta no Medprev e busque orientação de um médico. Embora elas não façam mal, algumas podem ter reações específicas de acordo com as condições de cada paciente. A lista de vacinas obrigatória para os adultos tem 9 opções. Além disso, é preciso tomar algumas vacinas extras antes de viajar para determinadas regiões.

Por fim, fique de olho no calendário anual de vacinação e saiba quais são as doses obrigatórias para crianças, adultos e idosos.

Dicas de saúde, novidades e soluções no seu e-mail, cadastre-se já!

Fique tranquilo, não enviamos spam para nossos pacientes.