Blog

Curiosidades

Doação de sangue: 8 verdades e mitos

Descubra o que é mentira e o que é verdade quando o assunto é ajudar a salvar vidas por meio da doação de sangue.

Você pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas com o simples ato de se tornar um doador de sangue. Trata-se de um procedimento seguro, indolor, voluntário e que pode render ainda uma série de benefícios.

Porém, por falta de informação ou mesmo por acreditarem em mitos consagrados, muitas pessoas deixam de lado essa possibilidade. Esse problema se acentua ainda mais no período do inverno, quando o volume de doadores diminuem o os bancos de sangue atingem estados críticos.

Acredite: na ampla maioria dos casos, a doação de sangue é permitida. No entanto, muitos ainda se perguntam se podem ou não podem ou, ainda, se sofrerão alguma consequência em função desse ato humanitário. Listamos aqui algumas das dúvidas mais comuns.

1. Idosos podem doar sangue?

Sim, é mito a informação de que idosos não podem doar sangue. Desde 2013 o Ministério da Saúde instituiu um aumento na idade máxima dos doadores. Atualmente, pessoas com idade entre 16 e 69 anos estão aptas a doarem sangue. Portanto, se você se enquadra nessa faixa etária, então preenche esse pré-requisito.

2. Pessoas com piercing e tatuagem podem doar sangue?

Sim, é mito também a informação de que elas estão proibidas de doar sangue. No caso das pessoas tatuadas o que se pede é que as doações sejam feitas apenas um ano após o desenho na pele. Se eventualmente alguma doença for transmitida pela agulha do tatuador no momento da marcação, o prazo de dozes meses é suficiente para dar certeza aos tatuados de que não há nenhum manifestação de doença contagiosa.

doacao de sangue

Já as pessoas com piercing também podem doar sangue normalmente, mas há uma exceção: aquelas com piercing na boca não estão aptas. Isso porque essa é uma área mais receptiva a infecções do que outras partes do corpo. Se não é o seu caso, então é possível doar sangue sem nenhum problema.

3. É preciso estar em jejum para doar sangue?

Mito. Você não precisa estar em jejum para doar sangue, mas é recomendável estar bem alimentado antes da doação. Faça uma refeição leve, com alimentos pouco gordurosos. Itens como cenoura, beterraba, tomate e alface são muito bem-vindos à dieta. 

É fundamental também que você não consuma bebidas alcóolicas em um período de 24 horas antes da doação de sangue. Em vez disso, opte por beber muita água, pois ela ajuda a aumentar o seu sangue na hora de doar. Por fim, há que se prestar atenção no peso mínimo: o voluntário deve pesar pelo menos 50 kg.

4. Quem doa sangue pode contrair doenças transmissíveis? 

Mito. Não existe mais a possibilidade de isso ocorrer. Fomentado pela Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), o teste NAT serve para detectar doenças como HIV, Hepatite B e Hepatite C. Dessa forma, o procedimento indica se a pessoa está contaminada mesmo que tenha se passado um curto período de tempo. 

5. É possível doar sangue uma vez por mês?

Não é verdade. Há um intervalo mínimo entre uma doação e outra que precisa ser respeitado. No caso dos homens o período de tempo entre as doações deve ser de pelo menos 60 dias. Já no caso das mulheres, o intervalo mínimo é de 90 dias. Isso faz com que homens possam doar sangue até 4 vezes por ano, enquanto as mulheres podem doar até 3 vezes a cada 12 meses. Essa diferença ocorre devido à reposição dos estoques de ferro no organismo, que é mais lenta nas mulheres.

6. Doar sangue faz emagrecer ou afinar o sangue?

Isso é completamente falso. Doar sangue não engrossa e nem afina o sangue. Da mesma forma, a doação não tem influencia nenhuma em emagrecer ou engordar.

doar sangue

A quantidade de sangue retirada é pequena – aproximadamente 450 ml – e a reposição é feita pelo organismo sem que haja nenhuma alteração no equilíbrio do corpo. Já nas primeiras 24 horas após a doação esse processo de reposição tem início.

7. Gestantes e lactantes não podem doar sangue?

Não podem, é verdadeira essa informação. O Ministério da Saúde recomenda que mulheres grávidas ou que estejam amamentando não doem sangue. No caso das lactantes é preciso aguardar um período de pelo menos 12 meses a contar da data do parto. A recomendação aqui é esclarecer eventuais exceções com um médico da sua confiança – utilize o MEDPREV para marcar a sua consulta.

8. Doadores de sangue têm uma série de benefícios?

É verdade. Além da razão principal da doação de sangue, que é a de ajudar a salvar vidas, os doadores têm uma série de benefícios, que variam de estado para estado. Em algumas regiões, doadores pagam meia-entrada em cinemas, teatros e shows musicais. 

Além disso, eles podem ter prioridade em consultas médicas e odontológicas do SUS e direito a atestado médico que justifique a ausência no trabalho por um período específico. Nesse caso, porém, é preciso checar o que diz a legislação do seu estado, pois as regras variam bastante.

Fonte(s): Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, Boa Vontade e Ministério da Saúde

Dicas de saúde, novidades e soluções no seu e-mail, cadastre-se já!

Fique tranquilo, não enviamos spam para nossos pacientes.