Medprev
Infecção intestinal

Infecção intestinal: o que é, sintomas e tratamento

infeccao-o-que-e-sintomas-e-tratamento.png

Causada principalmente pela ingestão de alimentos contaminados com bactérias ou fungos, a infecção intestinal é um tipo de doença que acomete o trato gastrointestinal. Além de ser uma condição muito desconfortável, pode levar a quadros de perda de peso e colite.

Confira mais sobre a infecção intestinal: o que é, sintomas, tratamento e muito mais a seguir!

O que é infecção intestinal?

A infecção intestinal é um tipo de doença que afeta o trato digestivo e é causada por uma variedade de agentes patogênicos como:

  • vírus;
  • bactérias;
  • parasitas.

Essa é uma condição relativamente comum, afetando milhares de pessoas.

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) mostram que a infecção intestinal acomete 1 em cada 10 indivíduos ao redor do globo.

Sua ocorrência é mais significativa em locais onde existem condições precárias de higiene e saneamento básico.

Entre as principais causas, está o consumo de carne crua e de produtos derivados do leite contaminado, geralmente processados com água não potável.

Assim que chega ao intestino, o agente infeccioso encontra um ambiente favorável para sua proliferação.

No caso dos vírus, por exemplo, os agentes se replicam, infestando facilmente todo o trato digestivo.

Sintomas da infecção intestinal

Os sintomas da infecção podem ser leves, moderados e graves, o que depende do agente infeccioso envolvido.

Dessa forma, é possível realizar uma divisão sistemática entre eles.

Sintomas leves e moderados

Entre as manifestações mais comuns, estão:

  • Perda de apetite - o paciente sente pouca ou nenhuma vontade de se alimentar, principalmente devido às dores de cabeça e desconfortos no geral;
  • Febre - a febre é um dos sintomas que indica que o corpo está em um processo infeccioso;
  • Fortes dores abdominais - varia de intensidade e localização. Pode ser na forma de cólica, dor aguda ou desconforto difuso;
  • Diarreia - é um dos sintomas mais comuns da infecção intestinal. Envolve fezes líquidas constantes.

Sintomas graves

  • Desidratação - trata-se de um sintoma grave e resultado da combinação de outras manifestações físicas, como vômitos e diarreia;
  • Sangue nas fezes - em alguns quadros de infecções, principalmente causados por alguns tipos de bactérias, pode ocorrer sangramento retal, resultando em fezes com aparência com sangue ou com mais escura;
  • Fraqueza extrema - devido à desnutrição, o corpo perde nutrientes, levando a uma fraqueza generalizada.

Em quadros onde a infecção é leve, os sintomas podem desaparecer depois de alguns dias.

O próprio sistema imunológico expulsa o agente. No entanto, em casos mais graves, pode ser necessária intervenção médica.

O que causa infecção intestinal?

A infecção intestinal costuma afetar principalmente pessoas em situações precárias, com pouco saneamento ou higiene.

Por essa razão, essa condição varia de acordo com a região (ambientes urbanos ou rurais).

É possível listar o agente infeccioso e os principais tipos relacionados a quadros de infecção intestinal. São eles:

  • Bactérias - E. coli enteropatogênica clássica, Aeromonas, Pleisiomonas, Salmonella, Shigella, Campylobacter jejuni, Vibrio cholerae, Yersinia;
  • Fungos - Candida albicans;
  • Parasitas - Giardia e Entamoeba histolytica;
  • Vírus - Norovírus e rotavírus.

Destes citados, os vírus são os agentes mais infecciosos e podem ser passados facilmente de pessoa para pessoa.

Diagnóstico

O diagnóstico da infecção intestinal é feito com base nos sintomas relatados pelo paciente e também através de exames específicos realizados em um consultório.

Vale salientar que o médico deve ser procurado se os sintomas anteriormente descritos persistirem por mais de um dia ou se o paciente tiver mais de 6 episódios de diarreia em um mesmo dia.

Além disso, é importante lembrar que gestantes, idosos e crianças fazem parte do grupo de risco, por isso, necessitam sempre de cuidados imediatos.

Entre os principais exames a serem realizados para o diagnóstico, destacam-se:

  • Testes de PCR - a PCR é uma proteína produzida no fígado que tem a concentração alterada quando existe alguma inflamação no corpo. Assim, é usada para detectar agentes infecciosos específicos, incluindo vírus e bactérias;
  • Testes de imagem - realizados em casos mais graves, onde o paciente apresenta complicações como perfuração ou abscessos;
  • Exame de cultura de fezes - trata-se de um exame que detecta bactérias patogênicas nas fezes, especialmente em casos de infecção por E. coli ou Salmonella.

Tratamento

O tratamento da infecção intestinal vai depender inteiramente do agente infeccioso identificado previamente nos exames, além da gravidade da infecção e o estado de saúde do paciente.

Na maioria das vezes, ele se concentra em aliviar os sintomas, como desidratação e diarreia.

De forma geral, grande parte dos quadros de infecções costumam ter recuperação total após 5 dias.

No período de tratamento, é indicado que o paciente priorize a ingestão de líquidos, como:

  • água;
  • água de coco;
  • chás;
  • isotônicos (ajudam no reposição de minerais perdidos pelo corpo, principalmente devido à diarreia).

Em relação à alimentação, é sugerido optar por :

  • carnes magras;
  • alimentos de fácil digestão (pastosos, de preferência);
  • purês;
  • sopas;
  • legumes cozidos.

Em contrapartida, é preciso evitar todo e qualquer alimento que possa irritar o intestino ou mesmo piorar o quadro de infecção, como:

  • bebidas alcoólicas;
  • leites e derivados;
  • alimentos fibrosos (como massas);
  • condimentos (como pimenta);
  • alimentos embutidos ou processados.

É muito importante salientar que para a mudança de hábitos alimentares de acordo com as necessidades individuais, o mais indicado é buscar o suporte de um profissional como o nutricionista.

Em casos onde a infecção é altamente contagiosa, principalmente aquelas relacionadas aos vírus, é fundamental a adoção de medidas de isolamento e precauções de higiene para evitar que a infecção se propague para outras pessoas.

Vale lembrar que o médico gastroenterologista é o profissional indicado para casos de infecção intestinal.

Como prevenir?

Existem diversas formas de prevenção da infecção intestinal, mas é necessário saber que o risco de contrair essa doença não pode ser totalmente eliminado.

As ações e medidas a seguir mostram formas de como reduzir significativamente a probabilidade de contrair a doença.

Entre as principais dicas, destacam-se:

  • Lavar bem os alimentos - de forma cuidadosa e sob água corrente, é fundamental lavar os alimentos antes de consumi-los, mesmo que eles sejam descascados posteriormente, por exemplo;
  • Lavar bem as mãos - a higiene das mãos jamais deve ser negligenciada. As mãos devem permanecer em água corrente por pelo menos 20 segundos, especialmente antes das refeições e após o uso do banheiro;
  • Cozinhar bem os alimentos - o cozimento dos alimentos garante a morte de bactérias e parasitas que podem estar presentes em carnes, aves e frutos do mar;
  • Usar utensílios de cozinha sempre limpos - é ideal manter os utensílios utilizados no preparo de alimentos sempre limpos, evitando assim a contaminação cruzada de alimentos crus e cozidos;
  • Armazenar os alimentos de forma segura - alimentos perecíveis precisam estar guardados na geladeira em temperaturas seguras. É importante também evitar deixar este tipo de alimento em temperatura ambiente por um longo período de tempo;
  • Evitar consumo de carnes e ovos mal passados ou mal cozidos;
  • Evitar a recreação em águas contaminadas - nadar em águas poluídas (ou que tenham risco de contaminação) também podem causar e contribuir para o aparecimento de infecções intestinais.

Complicações associadas à infecção intestinal

No passado, a infecção intestinal era um problema de saúde que causava a morte de um grande número de pessoas.

Atualmente, com o avanço da medicina, tornou-se um uma condição de saúde que pode ser tratada com mais eficácia.

Contudo, não se deve dar pouca importância ao problema. Se não tratada de forma correta, a infecção intestinal pode evoluir para quadros mais sérios e outras doenças graves.

Estudos recentes mostram, inclusive, que pacientes com infecção intestinal têm mais facilidade a desenvolver problemas como:

  • diabetes;
  • obesidade;
  • problemas cardíacos;
  • doenças inflamatórias intestinais graves como a gastrite crônica e o câncer colorretal.

Os testes realizados mostraram que, apesar de ser controlada, a infecção intestinal pode causar danos permanentes devido ao enfraquecimento do sistema imunológico do paciente.

Infecção intestinal em grupos de risco

A infecção intestinal pode afetar pessoas de todas as idades. Porém, existem os chamados grupos de risco, que incluem crianças e idosos.

Para crianças, especialmente aquelas com menos de 5 anos de idade, o cuidado deve ser redobrado, pois o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento.

Além disso, os pequenos têm a tendência de sempre levar a mão à boca, aumentando o risco de infecção intestinal.

Já os idosos têm o sistema imunológico enfraquecido, além de outras condições crônicas, que podem agravar os sintomas e complicar o tratamento de infecções intestinais.

Dessa forma, assim como as crianças, o cuidado deve ser redobrado.

Conclusão

Como mostrado no post "Infecção intestinal: o que é, sintomas e tratamento", apesar de ser uma condição médica de diagnóstico e tratamento simples, a infecção intestinal deve ser tratada com seriedade.

Condição médica bastante comum, sua contaminação se dá pela ingestão ou contato em alimentos, água e superfícies contaminadas com agentes patogênicos, como vírus, parasitas e bactérias.

Ela ataca o intestino como um todo, levando a sintomas como perda de peso, diarreia, dores de cabeça, febre, entre outros.

Idosos e crianças estão mais suscetíveis à contaminação, devido ao sistema imunológico enfraquecido ou em desenvolvimento, respectivamente.

Se não tratada, a infecção intestinal pode evoluir para quadros mais sérios, sendo responsável inclusive pelo aumento de chance do aparecimento do câncer colorretal.

Ao notar um ou mais sintomas, é preciso buscar atendimento médico imediato.

04/12/2023   •   há 3 meses

Fique por dentro das campanhas e cupons da Medprev

Declaro que li e aceito os e a