BLOG MEDPREV

Qual a diferença entre alergia e intolerância alimentar?

Alergia ao leite é a mesma coisa que intolerância à lactose? Descubra qual a diferença entre alergia e intolerância alimentar e entenda melhor o que acontece com o seu organismo.

Algumas pessoas não podem comer camarão de jeito nenhum, pois são alérgicas e têm uma forte reação. Por outro lado, há pessoas que só passam mal se consumirem esse fruto do mar em grandes quantidades, já que são intolerantes a ele. Mas qual a diferença entre alergia e intolerância alimentar?

Os dois problemas se confundem principalmente porque compartilham alguns sintomas, como dor de estômago, náuseas, vômito e diarreia. Porém, na verdade eles se tratam de duas condições com causas bastante diferentes.

Alergia Alimentar

Toda alergia consiste em uma reação do sistema imunológico diante de uma partícula inofensiva, que é reconhecida pelo corpo como sendo uma ameaça. A cadeia de reações é mediada por um componente chamado imunoglobulina E (IgE), que ativa as células de defesa com o objetivo de destruir essas partículas.

Essas células, que são principalmente os mastócitos e os basófilos, produzem uma grande quantidade de histamina, responsável pelos sintomas da alergia.

No caso da alergia alimentar, o sistema imunológico confunde proteínas específicas de alguns tipos de alimentos com invasores. Existem testes feitos na pele que permitem identificar esses alimentos, mas, em geral, a alergia é descoberta quando há uma crise.

Embora cada organismo possa ser alérgico a alimentos diferentes, existem alguns que causam reações com mais frequência, por exemplo:


  • Amendoim;

  • Castanhas;

  • Frutos do mar (camarão e marisco principalmente);

  • Gergelim;

  • Kiwi;

  • Leite e seus derivados;

  • Ovo;

  • Peixes;

  • Soja;

  • Trigo.

Quando as reações surgem antes dos 5 anos, a alergia pode desaparecer com o tempo, pois o sistema imunológico da criança ainda está em formação. Porém, quando a alergia aparece ou continua na idade adulta, é preciso eliminar completamente o alimento em questão da dieta, pois mesmo pequenas quantidades podem desencadear uma reação.

Assim, o tratamento da alergia alimentar inclui a retirada dos alergênicos do cardápio e o uso de medicamentos anti-histamínicos (como a loratadina) e corticoides (betametasona).

Sintomas de alergia alimentar

Os sintomas da alergia alimentar surgem de forma muito rápida, dentro de minutos ou no máximo duas horas. Ainda, como se trata de uma reação sistêmica, os sintomas atingem diversos órgãos. Veja a lista dos mais comuns:

  • Aftas;

  • Coceira intensa na pele;

  • Diarreia com ou sem ardência;

  • Dor abdominal;

  • Excesso de gases;

  • Falta de ar e dificuldades respiratórias;

  • Inchaço do rosto, especialmente da boca e da língua;

  • Manchas avermelhadas ou urticária;

  • Nariz congestionado ou escorrendo;

  • Náuseas e vômitos;

  • Sensação incômoda na garganta.

O desconforto sentido na garganta, a falta de ar e a urticária são sintomas que podem indicar um quadro mais grave e potencialmente fatal, conhecido como choque anafilático, mais comum em pessoas que já têm um histórico de crises alérgicas.

O perigo dessa reação alérgica extrema é que ela pode levar a um edema de glote (inchaço da laringe), impedindo a passagem do ar, a uma queda acentuada da pressão e à inconsciência. Se não for tratada imediatamente (com uma injeção de adrenalina e máscara de oxigênio), essa complicação pode causar um colapso cardiorrespiratório e até mesmo o óbito.

Intolerânica Alimentar

Diferente da alergia, a intolerância alimentar não envolve o sistema imunológico, a IgE e a histamina. Em vez disso, esse problema ocorre em função da dificuldade do organismo em processar determinados alimentos, geralmente causada pela deficiência das enzimas necessárias para digeri-los.

Com isso, acontece um esforço maior do organismo para processar esses produtos e formam-se substâncias consideradas estranhas, o que leva a um desgaste da mucosa do intestino. Outras causas da intolerância alimentar são a síndrome do intestino irritável, a sensibilidade a alguns aditivos e o estresse.

O exemplo mais famoso desse problema é a intolerância à lactose, um açúcar presente no leite e seus derivados que não pode ser digerido corretamente devido à falta da enzima lactase. A alergia ao leite, por sua vez, trata-se da reação do sistema imunológico à caseína, uma proteína presente nesse produto.

Já a doença celíaca, que se caracteriza por uma sensibilidade ao glúten (proteína presente no trigo e outros grãos), também é considerada uma intolerância alimentar, embora envolva algumas reações do sistema imunológico.

Além do leite e seus derivados, do trigo e de outros cereais que contenham glúten, os alimentos mais envolvidos em quadros de intolerância são:


  • Carnes processadas;

  • Chocolate;

  • Frutas (banana e frutas cítricas principalmente);

  • Frutas secas;

  • Frutos do mar;

  • Ovo;

  • Pimentas;

  • Produtos com corantes;

  • Repolho;

  • Vinho tinto.

A principal forma de tratamento da intolerância alimentar é evitar consumir o produto responsável pelos sintomas. Porém, diferente dos quadros alérgicos, é possível encontrar uma quantidade tolerável pelo organismo, de forma que a ingestão não cause nenhum desconforto.

Sintomas da intolerância alimentar

Assim como a alergia, a intolerância alimentar também causa sintomas gastrointestinais como dor abdominal, excesso de gases, náuseas, vômitos e diarreia. A diferença é que eles podem levar várias horas ou até mesmo dias para aparecer.

Esse problema também pode apresentar sintomas pouco específicos, como dor de cabeça, irritabilidade e inchaço no abdômen e nas pernas – entre uma lista de mais de 100 manifestações clínicas. Embora a intolerância seja muito mais comum que a alergia, felizmente seus sintomas são mais leves e não causam complicações fatais.

Agora que você já sabe qual a diferença entre alergia e intolerância alimentar, fica mais fácil entender o que acontece com o seu organismo. Isso, porém, não dispensa o acompanhamento médico para que você tenha um diagnóstico correto e o melhor tratamento para a sua condição, combinado?

Fonte(s): Agora nós, Viva Bem, Mundo Boa Forma, Saúde e Tua Saúde

Tags: Saúde, cuidado do corpo, medprev, hospital, clínicas, agendamento, intolerância à lactose, intolerância alimentar, alergia, glúten, celiácos

Voltar para   BLOG MEDPREV

posts relacionados
7 hábitos saudáveis que melhoram a qualidade de vida e saúde masculina
Leia mais...