BLOG MEDPREV

Quais são os tipos de gorduras corporais que todo mundo tem?

Você sabia que existe uma gordura vital para o bom funcionamento do corpo? Descubra quais são os tipos de gordura corporal que constituem o seu organismo.

Quando falamos na gordura do nosso corpo, a primeira coisa que vem à mente é que esse é um componente muito prejudicial à saúde. Contudo, você sabia que nem todo tecido adiposo é igual? Veja quais são os tipos de gordura corporal e descubra que nem todos eles são sinônimos de doença:

1. Gordura essencial

Como você pode deduzir pelo nome desse componente, a gordura essencial é imprescindível para o bom funcionamento do organismo. Esse é o tecido adiposo que atua na regulação da temperatura corporal, na produção de vários hormônios e na absorção de vitaminas, além de ser o principal constituinte da membrana das células, junto com as proteínas.

A gordura essencial também funciona como a reserva de energia para vários órgãos e é necessária para a manutenção dos processos que ocorrem no cérebro, no coração, nos pulmões e no fígado, entre outros.

2. Gordura branca

Sabe aquela gordurinha localizada que insiste em não sair mesmo com dieta e exercícios? Essa é a gordura branca, que recebe esse nome porque é realmente esbranquiçada em função da sua baixa quantidade de vasos sanguíneos. Esse tipo corresponde a 90% do tecido adiposo do nosso organismo e ajuda a proteger nossos órgãos dos impactos do dia a dia. Contudo, a má notícia é que, em excesso, ele causa uma série de problemas.

O principal papel da gordura branca é fazer a transformação das calorias excedentes da dieta em mais gordura, o que é importante para que nosso organismo tenha energia. Porém, como você pode imaginar, esse tipo de gordura tende a se acumular, tornando-se prejudicial.

Além de ser a principal reserva de triglicerídeos do organismo, a gordura branca promove uma resistência à leptina, um hormônio que confere sensação de saciedade. Como resultado, uma pessoa com excesso desse tipo de gordura vai sentir mais fome, e sua tendência será ganhar ainda mais peso.

3. Gordura marrom

Se você já ouviu falar que existem gorduras boas em nosso organismo, saiba que uma delas é a gordura marrom – que tem essa coloração por receber um maior aporte de sangue. Esse tipo de tecido adiposo tem a função de fazer o isolamento térmico do nosso corpo e, ao contrário da gordura branca, ele queima calorias para cumprir seu papel.

Existe até mesmo um estudo da Universidade de Harvard que demonstrou que a gordura marrom é ativada por temperaturas mais baixas, de forma que o frio ajudaria a reduzir o excesso de gordura branca ao estimular a queima calórica. O problema é que, infelizmente, a quantidade desse tipo de tecido adiposo não é muito alta em nosso organismo.

4. Gordura bege

De forma semelhante à gordura marrom, a gordura bege também queima calorias para produzir calor e manter nossa temperatura corporal em uma faixa adequada. Esse tipo de tecido adiposo tem origem na gordura branca, que é transformada em bege quando praticamos exercícios físicos.

Porém, o mais interessante é que a gordura bege também ajuda a transformar a gordura branca (“ruim”) em marrom (“boa”). Dessa maneira, fica evidente que os exercícios não apenas queimam a gordura prejudicial, mas também estimulam a produção da gordura benéfica. Vantagem dupla!

5. Gordura subcutânea

A gordura subcutânea fica armazenada logo abaixo da pele. Essa é aquele gordurinha que podemos perceber ao beliscar braços, pernas e barriga com os dedos.

Embora não seja tão prejudicial quanto a gordura branca ou a visceral, o excesso de gordura subcutânea pode incomodar porque deixa uma aparência mais rechonchuda e impede a visualização dos músculos. Além disso, essa é a gordura responsável pelo surgimento da celulite.

6. Gordura visceral

Quando falamos em quais são os tipos de gordura corporal, não podemos deixar de citar a gordura visceral, que é a mais prejudicial de todas. Esse tipo de tecido adiposo consiste na gordura branca que se deposita entre os órgãos, atrás da parede do abdômen e na cavidade peritoneal.

O excesso de gordura visceral está relacionado a uma maior propensão a várias doenças e complicações, como hipertensão, níveis elevados de colesterol, infarto e acidente vascular cerebral. Além disso, ela agrava os processos inflamatórios e diminui o metabolismo e a queima de gordura.

Como evitar o excesso de gordura

Não importa qual é o tipo de gordura que você deseja queimar: a receita para eliminar o excesso de tecido adiposo é fazer uma reeducação alimentar, adotando uma dieta saudável, e praticar exercícios físicos aeróbicos e de força regularmente. Em alguns casos de gordura branca e subcutânea, pode ser necessário recorrer aos tratamentos estéticos para obter resultados mais visíveis.

Independente de quais são os tipos de gordura corporal, ter bons hábitos de vida é sempre o melhor caminho para evitar o acúmulo de tecido adiposo e o consequente sobrepeso. Por isso, não espere o alerta da balança para cuidar de você mesmo.

Fonte(s): Minha Vida, Boa Forma, Dicas de Mulher e Harvard Medical School

Independente de quais são os tipos de gordura corporal, ter bons hábitos de vida é sempre o melhor caminho para evitar o acúmulo de tecido adiposo e o consequente sobrepeso

Tags: Saúde, cuidado do corpo, medprev, hospital, clínicas, agendamento, gordura corporal, alimentação

Voltar para   BLOG MEDPREV

posts relacionados
7 hábitos saudáveis que melhoram a qualidade de vida e saúde masculina
Leia mais...