BLOG MEDPREV

Quais são as vacinas obrigatórias para viajar?

Viajantes devem seguir as orientações específicas do país de destino, mas há uma lista com as vacinas mais comuns requisitadas no exterior.

Passagens compradas, hotel reservado e documentação em dia. Se você ainda não possui um Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), então talvez seja necessário providenciar um antes de embarcar. 

Se você não tiver tomado as vacinas requeridas pelo país em questão, não tem o que fazer: logo no desembarque você será mandado de volta para casa. Para evitar que uma situação desconfortável como essa aconteça, é importante estar ciente sobre as vacinas obrigatórias. Elas variam de país para país e, portanto, é preciso ficar atento na hora de planejar as suas viagens.

Nesse artigo, vamos explicar como funciona o procedimento de comprovação de vacinação, onde encontrar informações sobre quais vacinas você precisa tomar e quais são as mais comuns.

Obrigatoriedade de vacinação: como funciona?

Cada país é livre para decidir quais são as regras para que visitantes entrem em seu território. Todos exigem passaporte, é claro, mas alguns vão além e podem exigir visto para permanência temporária ou comprovantes de vacinação. 

Diferente do que muitos imaginam, a ideia não é proteger os visitantes de possíveis doenças existentes na região, mas sim evitar que os forasteiros tragam doenças de fora. É por esse motivo que um país pode se reservar o direito de exigir um comprovante de vacinação de um brasileiro e dispensar o de um norte-americano, por exemplo.

A primeira coisa que você deve fazer é acessar o site do CIVNET, um sistema mantido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Na página, clique em “Exigências de viagem” e localize o país de destino na lista. 

Por exemplo, se você escolher “Albânia” verá que o país exige dos brasileiros um certificado que comprove que viajante foi vacinado contra a Febre Amarela. Já a “Alemanha” não exige nenhum certificado, mas recomenda que o viajante tome a vacina contra Sarampo. Portanto, cheque os detalhes do seu destino antes de viajar.

Importante: lembre-se de fazer isso com antecedência e com uma certa frequência. As exigências podem mudar de um momento para outro e algumas vacinas requerem um tempo mínimo entre a aplicação e a data de entrada no país para que possam ser consideradas válidas.

Como obter o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)?

Você pode obter o CIVP online ou presencialmente. Para solicitações presenciais o procedimento é o seguinte:

  1. Vacine-se e guarde o comprovante de vacinação.
  2. Depois, dirija-se a um Centro de Orientação ao Viajante da Anvisa. Você pode agilizar o seu atendimento fazendo um pré-cadastro no site da Anvisa. Em geral, os Centros estão localizados em aeroportos internacionais.
  3. Por fim, leve o seu comprovante de vacinação juntamente com um documento de identidade a um Centro de Orientação ao Viajante da Anvisa. A documentação será checada e se tudo estiver correto o seu certificado será emitido. Guarde-o junto ao passaporte e apresente-o no balcão da companhia aérea na hora de embarcar e na alfândega do país de destino quando solicitado.

Para solicitações online, vale lembrar que a emissão do CIVP pode levar até cinco dias úteis. Portanto, se você tiver urgência pelo documento, opte pelo método presencial no qual o certificado é emitido na hora. Eis o passo a passo para a solicitação online:

  1. Vacine-se e guarde o comprovante de vacinação.
  2. Faça um cadastro no Portal de Serviços, usando o número do seu CPF e um endereço de e-mail válido. 
  3. Depois, preencha um formulário no site e encaminhe uma foto do seu RG e do comprovante de vacinação.
  4. Aguarde. Seus documentos serão analisados pela Anvisa em até cinco dias úteis. Após esse prazo, se tudo estiver correto, você receberá por e-mail um CIVP. 
  5. Importante: o CIVP online não é válido. É preciso imprimir o documento e assinar no local indicado para que ele possa ser aceito em outros países.

Quais são as vacinas obrigatórias?

Como já mencionamos, cada país é livre para fazer as suas exigências. Porém, em escala mundial, podemos considerar que a vacina mais importante é da Febre Amarela. Trata-se de uma doença infecciosa grave que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor da dengue. 

Essa obrigatoriedade é mais comum em países da América do Sul, América Central e África, mas não se limita a essas regiões. É importante ficar atento ao período de imunização. A vacina da Febre Amarela precisa de pelo menos dez dias para fazer efeito, portanto você deve tomá-la pelo menos dez dias antes da sua viagem. Um país poderá recusar a sua entrada se o prazo mínimo não for respeitado.

No Brasil, viajantes que se dirigem para áreas de matas nas regiões Norte e Nordeste são aconselhados a tomar essa vacina, embora não exista a exigência. A recomendação se aplica ainda às zonas rurais dos seguintes estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais.

Outras vacinas cuja exigência costuma ser solicitada com maior frequência são as seguintes: Tétano, Difteria, Hepatite A, Hepatite B, Tríplice Viral e Antirrábica. Se você viaja para muitos lugares ou não quer ter surpresas de última hora com isso, a recomendação é providenciar todas elas com antecedência e manter a sua carteira de vacinação sempre atualizada.

E, claro: não se esqueça de consultar sempre o site do CIVNET para verificar se as exigências não mudaram. Se tiver qualquer dúvida sobre as vacinas em si, como eventuais contraindicações, procure um médico para esclarecimentos.

Fonte(s): SkyscannerSaúde AbrilGoHurb e Anvisa

posts relacionados
5 de agosto: Dia Nacional da Saúde, da Farmácia e do Médico Patologista
Leia mais...