BLOG MEDPREV

15 primeiros sintomas mais comuns que podem indicar gravidez

Saiba como reconhecer os sinais que o corpo dá indicando que uma gestação está em desenvolvimento.

Você sabia que já na primeira semana de gravidez o corpo da mulher emite sinais de que uma gestação está em desenvolvimento? É bem verdade que eles são difíceis de serem identificados por serem sutis, mas algumas mulheres mais sensíveis podem ser capazes de percebê-los.

Antes mesmo de realizar um teste de gravidez ou consultar um médico, é possível observar mais de uma dezena de sintomas de gravidez que, combinados com o atraso menstrual, pode ser um grande indício de uma gestação. Você sabe quais são esses sinais?

Sintomas da primeira semana de gravidez

Os sintomas percebidos nos sete primeiros dias de gravidez são os mais difíceis de serem percebidos. Muitas mulheres não notam que algo está acontecendo, pois a intensidade dos sintomas varia bastante. Além disso, nem sempre todos eles se manifestam, e individualmente eles podem indicar outras condições. Em linhas gerais, são três os sintomas na primeira semana:

  • Corrimento vaginal cor-de-rosa: esse tipo de corrimento é causado pela entrada do espermatozoide no óvulo e pode surgir desde minutos depois da relação sexual até três dias depois do contato.
  • Corrimento vaginal mais espesso: além disso, o corrimento que se forma pode ser mais espesso do que o normal, podendo ser de cor esbranquiçada.
  • Cólica e inchaço abdominal: a fecundação do óvulo resulta em um aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica, o que pode causar desconforto e cólicas de intensidade média.

Sintomas da segunda semana de gravidez

A partir da segunda semana de gravidez a lista de sintomas aumenta e eles se tornam mais perceptíveis para uma parcela maior de mulheres. Novamente, é importante salientar que os sintomas não devem ser analisados isoladamente, mas sim em conjunto, pois individualmente eles podem ser indícios de outras condições.

  • Mamas sensíveis e volumosas: os hormônios que estimulam as glândulas mamárias entram em ação, preparando a mulher para a amamentação. Isso pode resultar em seios mais sensíveis e volumosos.
  • Escurecimento da auréola: como consequência do inchaço as auréolas da mama podem ficar escurecidas em razão do aumento do fluxo sanguíneo.
  • Cansaço, sonolência e falta de ar: as adaptações do metabolismo do corpo para o desenvolvimento do bebê resultam em cansaço, sonolência e, eventualmente, falta de ar, e essa sensação aumentará à medida que as semanas forem passando.
  • Dores nas costas: ainda que não seja uma regra, algumas mulheres sentem dores nas costas logo na segunda semana de gravidez. Porém, esse é um sintoma mais característico das últimas semanas de gestação.
  • Alterações no olfato e no paladar: o corpo mais sensível faz com que a mulher passe a ter aversão a odores mais fortes, ainda que agradáveis. Algumas gravidas relatam ainda alterações no paladar.
  • Mudanças no humor: como consequência de todas essas modificações corporais, o humor pode variar sem razão aparente. Crises de choro podem ser consequência de um desequilíbrio nos níveis de neurotransmissores.
  • Atraso ou ausência de menstruação: esse é o sintoma mais clássico e perceptível. Mulheres com período menstrual regular tendem a perceber com mais naturalidade a ausência ou o atraso. É importante lembrar que esse sintoma pode aparecer entre a segunda e a quarta semana.

Sintomas do primeiro mês de gravidez

O atraso ou a ausência da menstruação costuma ser um indício para que as mulheres recorram ao teste de gravidez, vendido em farmácias. Ele é relativamente confiável quando realizado após o primeiro dia de atraso menstrual. Em casos negativos, mas com persistência dos sintomas, é recomendável repeti-lo de três a cinco dias depois.

  • Enjoos e salivação: ao acordar, as mulheres relatam sensação de enjoo e algumas têm ânsia de vômito. A salivação excessiva é outro sintoma que acompanha a mulher a partir desse momento, e pode se estender por toda a gravidez.
  • Desejos por comidas estranhas: não é mito que as grávidas sentem desejo por comidas estranhas, às quais não estão habituadas. Essa característica tem relação direta com deficiências nutricionais de vitaminas e minerais provenientes de alimentos pouco consumidos.
  • Tontura e cefaleia: em razão da queda da pressão arterial e dos enjoos, algumas mulheres podem sentir tontura e dor de cabeça. Embora esse último sintoma possa ser persistente, ele não costuma se manifestar de forma intensa.
  • Alterações nas necessidades fisiológicas: ao mesmo tempo que aumenta a vontade de urinar, reduz-se também a vontade de defecar. Tudo isso se deve às alterações hormonais.
  • Espinhas e oleosidade da pele: por fim, em razão das alterações hormonais, a pele pode se tornar mais oleosa, revelando o aparecimento de espinhas.

Quando é hora de procurar um médico?

A partir do momento em que ocorre o atraso na menstruação, uma boa escolha é realizar o teste de gravidez disponível nas farmácias. Se o resultado for positivo, é fundamental que a mulher procure um médico para que possa iniciar o processo de acompanhamento da gravidez. 

Ainda que o resultado seja negativo, ao perceber os sintomas característicos do primeiro mês de gravidez, é importante redobrar a atenção e consultar um médico se eles persistirem. Utilize o aplicativo do Medprev para agendar uma consulta com um ginecologista e, se necessário, realizar exames mais apurados para constatar uma possível gravidez.

posts relacionados
Ansiedade: o que é, quais são os sintomas e causas e como tratá-la
Leia mais...
Quando a febre se torna perigosa para o organismo?
Leia mais...