BLOG MEDPREV

O que faz um fonoaudiólogo e em quais situações ele pode ajudar?

Conhecido por tratar problemas de dicção, o fonoaudiólogo auxilia crianças e adultos a se comunicar, mastigar, engolir e respirar da forma correta.

A comunicação é uma das habilidades básicas para o desenvolvimento integral de qualquer pessoa, pois é a partir dela que estabelecemos relações pessoais, sociais e profissionais. Quando existe alguma dificuldade nos aspectos envolvidos na comunicação, é o fonoaudiólogo que pode nos ajudar.

Mas as funções desse profissional são mais amplas do que isso, já que a fonoaudiologia lida tanto com os recursos envolvidos na comunicação (como a fala, o uso da voz, a audição e a linguagem escrita) quanto com os recursos envolvidos em funções fisiológicas como mastigação, deglutição e respiração.

O que faz um fonoaudiólogo?

O fonoaudiólogo é o profissional que auxilia crianças e adultos a desenvolver ou a restabelecer as habilidades necessárias para que a pessoa consiga se comunicar, mastigar, engolir e respirar de forma plena.

Para isso, o fonoaudiólogo faz uma avaliação para identificar quais são as dificuldades do paciente e em que grau elas estão, podendo assim estabelecer um plano terapêutico para resolver eventuais distúrbios nessas funções. 

Em seguida, o fonoaudiólogo coloca esse plano terapêutico em prática com a aplicação de várias técnicas, geralmente incluindo exercícios de fonoaudiologia.

Quando procurar um fonoaudiólogo

Muita gente imagina que somente as crianças podem ser auxiliadas pelo fonoaudiólogo, mas isso não é verdade. Embora ele realmente tenha uma grande importância no desenvolvimento infantil, ele também pode ser fundamental para adultos que desejam aprimorar a voz ou que necessitam reabilitar funções.

Conheça as principais situações nas quais o fonoaudiólogo pode ajudar:

1. Língua presa

A “língua presa” é um problema comum que prejudica a pronúncia de diferentes sons. Essa característica frequentemente se torna motivo de piada na escola e causa constrangimentos que podem abalar a autoconfiança de pessoas de qualquer idade.

Por meio de exercícios que tonificam a língua, o fonoaudiólogo pode auxiliar a pessoa a superar essa dificuldade.

2. Gagueira

Muitas vezes, a gagueira é atribuída a uma suposta insegurança, mas ela não se trata de um transtorno emocional. Na verdade, é a gagueira que causa a insegurança, e não o contrário.

Essa condição é causada por um desequilíbrio neuroquímico que prejudica o funcionamento das estruturas envolvidas na fala. Por isso, a avaliação e o acompanhamento do fonoaudiólogo são essenciais nesses casos.

3. Dificuldades na amamentação

Situações nas quais o bebê parece não querer mamar no peito ou nas quais a mãe parece ter pouco leite podem ser causadas pela pega errada, ou seja, uma dificuldade da criança em sugar e engolir.

Nesses casos, as mães que desejam amamentar podem contar com a ajuda do fonoaudiólogo, que oferece treinamento e orientações valiosas para essa fase.

4. Crianças que trocam letras (dislexia)

Outra situação em que o fonoaudiólogo pode ajudar é nos casos de crianças que trocam letras na hora de ler e escrever, como “B” e “P” ou “D” e “T”. Esse pode ser um sintoma de dislexia, uma condição que prejudica o desempenho escolar mesmo que o estudante seja dedicado.

A partir do diagnóstico de dislexia ou outros distúrbios que afetam a leitura e a escrita, entram em cena recursos de fonoaudiologia, como exercícios de audição e coordenação motora, que ajudam a criança a resolver esse problema.

5. Dificuldades para mastigar e engolir

Traumas na região da mandíbula, alimentação por sonda por muito tempo, AVC (derrame) e condições como doença de Alzheimer e doença de Parkinson podem prejudicar as diversas habilidades necessárias para a fala, a mastigação e a deglutição.

No caso de traumas, uso prolongado de sonda e AVC, o fonoaudiólogo atua na reabilitação do paciente, podendo ajudá-lo a recuperar suas funções normais. Já no caso das doenças degenerativas, o papel desse profissional é proporcionar uma melhor qualidade de vida para a pessoa e treinar seus familiares para lidar com as dificuldades da melhor maneira.

6. Aperfeiçoamento da voz

Pessoas que utilizam a voz como instrumento de trabalho, como atores, cantores, locutores, professores etc., também podem buscar auxílio do fonoaudiólogo. 

O atendimento pode ser voltado para o aprimoramento da articulação dos sons, do tom de voz e da respiração ou para a prevenção e o tratamento da rouquidão.

7. Respiração oral

Respirar pela boca é um hábito que pode prejudicar o alinhamento dos dentes, a mastigação e pronúncia de diversos sons, mas não é algo tão fácil de corrigir sozinho.

Nessas situações, a avaliação e o acompanhamento do fonoaudiólogo são importantes para fortalecer os músculos faciais e treinar as habilidades de coordenação motora necessárias para a respiração.

8. Pessoas com problemas auditivos

O fonoaudiólogo pode auxiliar tanto crianças diagnosticadas com dificuldade ou impossibilidade de ouvir (surdez) quanto adultos que apresentam perdas auditivas no decorrer da vida.

O acompanhamento desse profissional pode ajudar as crianças e adultos a desenvolver melhor a fala e a leitura labial, além de auxiliá-los na adaptação no uso de aparelhos auditivos.

Onde encontrar um fonoaudiólogo

Geralmente, uma pessoa chega até o fonoaudiólogo depois de ser encaminhada pelo médico ou pelo dentista. Porém, é possível procurar esse profissional a qualquer momento quando você sentir necessidade.

Utilize o site ou o aplicado do MEDPREV para encontrar um fonoaudiólogo em Curitiba e marcar seu horário.

Fonte(s): Minha Vida, Guia do Estudante, Fonoaudiologia Org e Drauzio Varella 

posts relacionados
Poliomielite: causas, sintomas, diagnóstico e a importância da vacina
Leia mais...