BLOG MEDPREV

O que é o exame de toque retal, como funciona e quando fazer?

Chega de tabu! Descubra como funciona o exame de toque retal, saiba o que esperar dele e liberte-se dos preconceitos que ainda rondam esse procedimento.

Embora ainda seja temido por muitos homens, o exame de próstata é um procedimento simples que permite detectar anormalidades nessa glândula, inclusive o câncer. Por isso, é importante superar os preconceitos – e a forma mais fácil de fazer isso é entendendo o que é e como funciona o exame de toque retal.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o segundo tipo mais comum de tumor maligno entre os homens brasileiros é o de próstata, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

O Inca estima que serão detectados mais de 68 mil novos casos da doença em 2018, cerca de 75% em homens acima dos 65 anos – por isso, o câncer de próstata é considerado a principal neoplasia da terceira idade.

O que é o exame de toque retal?

O exame de toque retal é o procedimento em que o médico insere o dedo indicador na porção final do intestino grosso (reto) do paciente. Desse modo, é possível avaliar o formato, o tamanho e a textura da próstata, além de identificar a presença de nódulos que podem ser indicativos de um tumor maligno.

Embora muitas vezes este exame seja alvo de piadas e constrangimentos, é somente pela via retal que o médico pode fazer a avaliação física da próstata, uma glândula do tamanho de uma noz que fica em volta da uretra, logo abaixo da bexiga.

Além da detecção de alterações na glândula e do câncer de próstata, o exame de toque retal é utilizado em outras situações, como investigar a origem de problemas de micção, complementar o diagnóstico de apendicite, detectar hemorroidas e descobrir a causa de sintomas como perturbações intestinais ou presença de sangue nas fezes.

Este exame também pode ser feito em pacientes do sexo feminino durante a consulta ginecológica. Nesse caso, como as mulheres não têm próstata, ele serve para investigar problemas no útero, no canal vaginal ou nos ovários.

Como funciona o exame de toque retal

O exame de toque retal é feito pelo médico urologista, que está disponível pelo MEDPREV (no caso das mulheres, ele também pode ser feito pelo ginecologista). Apesar de ter fama de ser muito desconfortável, na verdade este é um procedimento simples e indolor, com tempo total de 10 segundos a 2 minutos.

Para isso, não é necessário adotar posições consideradas constrangedoras, sendo possível inclusive permanecer de pé. Então, utilizando uma luva descartável devidamente lubrificada, o médico vai inserir o dedo indicador no reto do paciente. Para facilitar o acesso à próstata e deixar o exame mais rápido, o urologista pode solicitar que ele faça força, como se quisesse evacuar.

Por meio do toque, é possível detectar eventuais inchaços, nódulos, regiões amolecidas ou endurecidas e outras alterações na glândula, incluindo o câncer de próstata. O paciente poderá sentir um leve incômodo caso ela esteja maior do que o normal.

Além do exame de toque retal, o médico pode solicitar o PSA, um exame de laboratório que detecta os chamados antígenos específicos da próstata e serve como complemento no diagnóstico de câncer e outras doenças dessa glândula.

Quando fazer o exame de toque retal

Em geral, os especialistas recomendam que os homens façam o exame de toque retal anualmente a partir dos 50 anos.

Contudo, para homens que têm histórico de câncer na família, especialmente o de próstata, é necessário começar aos 45. Se não houver nenhuma alteração, o paciente poderá retornar ao consultório depois de cinco anos para iniciar a rotina de exames anuais.

Vale lembrar que, diferente de muitos especialistas, o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde não recomendam a realização do exame de toque ou do PSA em homens assintomáticos. Por isso, a necessidade do rastreamento só pode ser determinada caso a caso depois de uma avaliação médica.

Deixe o preconceito de lado

De acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia, 47% dos homens entrevistados nunca fizeram o exame de toque retal – em grande parte pelos preconceitos envolvidos nesse procedimento.

É verdade que a região anal e retal ainda está fortemente associada a piadas e tabus, mas isso precisa ser superado. Caso você se sinta constrangido, lembre-se de que o exame de próstata faz parte das funções do urologista e que ele está mais do que acostumado a realizá-lo.

Agora que você sabe como funciona o exame de toque retal, não é preciso ter receio desse procedimento, pois ele não traz nenhum tipo de prejuízo à saúde ou à masculinidade do paciente. Pelo contrário: esse exame é necessário para que os homens possam viver mais e melhor.

Fonte(s): 

Inca [1] e [2]Zero HoraAbril Saúde e Minuto Saudável

posts relacionados
Qual a diferença entre inflamação e câncer de próstata?
Leia mais...
Qual a idade certa para fazer o exame de próstata?
Leia mais...