BLOG MEDPREV

Como saber se é sarampo? Conheça os principais sintomas

O país está passando por um surto dessa doença que afeta principalmente as crianças e pode levar à morte em alguns casos. Conheça seus sintomas e veja como saber se é sarampo.

O Brasil já tem mais de 1.060 casos de sarampo confirmados em agosto de 2018, além de cinco vítimas fatais. Esta doença não apresentava um número tão alto de ocorrências desde 1999, quando foram registrados 908 infectados. Diante dessa situação, muitas pessoas se preocupam em reconhecer seus sintomas e em como saber se é sarampo mesmo.

Embora a maior parte dos casos tenha acontecido no Amazonas e em Roraima, também se registraram ocorrências isoladas nos estados do Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia e São Paulo – nestes últimos, em função da circulação de estrangeiros infectados com a doença.

O que é sarampo?

O sarampo é uma infecção viral altamente contagiosa que atinge especialmente as crianças, embora possa acometer pessoas de qualquer idade. Estima-se que 90% das pessoas que não receberam a vacina e entraram em contato com o vírus acabam desenvolvendo a doença.

Essa infecção é transmitida principalmente pelas secreções da boca e do nariz, como gotículas de saliva contaminadas por um Morbilivirus que são expelidas pela tosse ou espirro. O contágio costuma acontecer pelo ar, seja pela proximidade das pessoas ou pelo fato de as gotículas de aerossol ficarem pairando em um ambiente fechado por até duas horas.

Há um intervalo de aproximadamente 12 dias (que varia de 7 a 14) desde o contágio até o surgimento dos primeiros sintomas, mas a pessoa infectada já pode transmitir o vírus durante esse período de incubação. Em geral, o sarampo deixa de ser contagioso quatro dias depois do aparecimento das placas avermelhadas na pele.

Sintomas do sarampo

O sintoma mais conhecido do sarampo são as erupções na pele, mas essa doença se manifesta por outras formas antes de chegar a esse estágio. Logo depois do período de incubação, os primeiros sintomas costumam ser:

  • Febre alta, acima dos 39 oC

  • Tosse seca

  • Conjuntivite (olhos avermelhados, sem pus)

  • Fotofobia (aumento da sensibilidade dos olhos à luz)

  • Coriza (nariz escorrendo)

  • Irritabilidade em bebês e crianças pequenas

  • Perda do apetite

Pouco tempo depois, é comum o surgimento das chamadas manchas de Koplik, lesões muito pequenas de cor branca ou azulada, semelhantes a grãos de areia, que aparecem na mucosa da bochecha e permanecem por 12 a 72 horas. Essas manchas costumam ser sucedidas por dor de garganta.

As placas vermelhas na pele, que são o sintoma mais conhecido do sarampo, surgem de 3 a 5 dias depois das primeiras manifestações da doença. O rash (ou exantema maculopapular eritematoso) aparece primeiro na cabeça, incluindo couro cabeludo, nuca, região atrás das orelhas, rosto e laterais do pescoço.

As placas têm a superfície irregular e plana, mas logo começam a ficar mais protuberantes. Um ou dois dias depois, elas se espalham para o tronco, os braços e as pernas, enquanto as primeiras manchas assumem uma coloração castanha e começam a descamar levemente.

O pico da febre costuma acontecer dois ou três dias depois do surgimento do rash e pode passar dos 40 oC, trazendo muito mal-estar. A temperatura tende a ceder em 3 a 5 dias.

Complicações do sarampo

O sarampo não costuma ser grave em crianças e adultos saudáveis, mas fatores como a desnutrição e a deficiência de vitamina A podem aumentar o risco de esta infecção levar à morte. Assim, além de diarreia e vômito, as complicações do sarampo podem incluir:

  • Pneumonia: causada pelo próprio vírus do sarampo ou por uma bactéria oportunista. Atinge cerca de 5% das pessoas e é uma causa frequente de morte entre os bebês infectados;

  • Hemorragia: pode surgir depois da cura da infecção devido à redução do número de plaquetas nos sangue;

  • Encefalite: trata-se de uma infecção cerebral que surge dois dias depois das manchas na pele e causa dor de cabeça, febre alta, convulsões e coma. O prognóstico dessa doença varia desde a recuperação completa em uma semana até lesões neurológicas e morte.

Como se prevenir contra o sarampo

A única forma de se prevenir contra essa doença é a vacina. Conforme o Programa Nacional de Imunizações, recomenda-se fazer a primeira dose aos 12 meses de idade (vacina tríplice viral, que também protege contra a caxumba e a rubéola) e a segunda aos 15 meses (vacina tetra viral, que inclui a proteção contra a catapora).

É importante saber que a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo 2018 vai do dia 6 ao dia 31 de agosto. Ela acontece em todos os postos de saúde do país e pretende imunizar todas as crianças entre 1 a 5 anos, mesmo as que já receberam uma dose da vacina.

Além disso, qualquer pessoa até 29 anos têm direito a tomar duas doses gratuitas da vacina, enquanto pessoas de 30 a 49 anos podem tomar uma dose. A imunização também pode ser feita em clínicas particulares para todas as faixas etárias.

Agora que você conhece as principais dicas de como saber se é sarampo, vale a pena ficar atento aos sintomas dessa doença, especialmente entre as crianças que ainda não foram vacinadas. Em caso de suspeita, procure atendimento médico imediato.


  • Febre alta, acima dos 39 oC

  • Tosse seca

  • Conjuntivite (olhos avermelhados, sem pus)

  • Fotofobia (aumento da sensibilidade dos olhos à luz)

  • Coriza (nariz escorrendo)

  • Irritabilidade em bebês e crianças pequenas

  • Perda do apetite

Fonte(s): MSD Manual, Dr. Drauzio Varella, Portal Fio Cruz, SAÚDE e SBIM

Tags: Saúde, cuidado do corpo, medprev, hospital, clínicas, agendamento, sarampo, sintomas, prevenção

Voltar para   BLOG MEDPREV

posts relacionados
7 hábitos saudáveis que melhoram a qualidade de vida e saúde masculina
Leia mais...