BLOG MEDPREV

Como prevenir e tratar micose

Embora sejam mais frequentes no verão, as infecções causadas por fungos podem surgir o ano todo. Veja os principais cuidados para evitá-las.

Temperaturas elevadas e umidade constante são fatores que favorecem o surgimento das micoses, infecções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas, o couro cabeludo e as mucosas.

As micoses são mais comuns no verão em função das condições climáticas, mas podem ocorrer o ano todo. Essas infecções não costumam representar uma ameaça grave à saúde da maior parte das pessoas; contudo, o tratamento para micose sempre deve ser orientado pelo dermatologista.

Como prevenir micose

A prevenção das micoses consiste em hábitos de higiene e em algumas dicas para evitar a exposição a ambientes e objetos que costumam abrigar fungos causadores de infecções. Confira:

Na praia e na piscina

  • Utilize chinelos em locais que ficam constantemente úmidos, como saunas, vestiários, áreas ao redor da piscina e duchas coletivas;
  • Coloque uma toalha ou esteira na areia antes de se sentar ou permitir que as crianças entrem em contato com ela;
  • Cubra superfícies como espreguiçadeiras e bancadas de sauna com uma canga ou toalha antes de se sentar;
  • Tome uma ducha de água limpa logo que sair do mar ou da piscina, de modo a remover parte das impurezas que se depositam na superfície da pele;
  • Tome um banho completo e troque as roupas molhadas por peças secas e limpas assim que possível.

No salão de beleza

  • Frequente apenas estabelecimentos que seguem padrões rígidos de higiene;
  • Verifique se as escovas e pentes estão livres de fios de cabelo, são lavados com água e sabão e higienizados com álcool entre cada uso;
  • Faça depilação somente com cera, espátula e palitinhos descartáveis;
  • Observe se a manicure e a pedicure utilizam luvas descartáveis durante o atendimento;
  • Não retire totalmente a cutícula, pois ela é uma barreira de proteção contra a entrada de fungos e outros microrganismos;
  • Leve seu próprio kit manicure para fazer as unhas e higienize todas as peças cortantes com água, sabão e álcool depois do uso;
  • Caso não seja possível levar seu próprio kit, verifique se instrumentos de metal como alicates, espátulas e tesouras foram esterilizados na autoclave e estão embalados em pacotes individuais lacrados;
  • Utilize apenas lixas e palitos de madeira descartáveis;
  • Aposte nos saquinhos plásticos descartáveis com creme amolecedor de cutícula. Caso deixe pés e mãos de molho na água, utilize bacias devidamente limpas e forradas com protetores de uso único.

No dia a dia

  • Seque-se muito bem depois do banho, especialmente nas regiões de dobras de pele, como axilas, virilhas e entre os dedos dos pés. Se necessário, utilize um secador;
  • Não lave os cabelos muito próximo da hora de dormir, pois o atrito com as roupas de cama pode abafar a região e favorecer o surgimento de fungos no couro cabeludo;
  • Dê preferência a calçados ventilados e confortáveis e evite passar muito tempo com modelos fechados, principalmente em dias quentes;
  • Aplique talco e utilize meias de algodão para absorver a umidade excessiva dos pés caso seja necessário utilizar calçados fechados por longos períodos;
  • Evite usar o mesmo calçado por dois dias seguidos. O ideal é limpar os sapatos depois de cada uso e guardá-los em local arejado;
  • Utilize roupas leves e de fibras naturais que absorvam a transpiração e deixe de lado as peças feitas de tecidos sintéticos, pois elas não permitem que o suor evapore;
  • Não empreste objetos de uso pessoal, como toalhas, meias, chinelos, chapéus e bonés, pois eles podem transmitir fungos de uma pessoa para outra.

Como tratar micose

Embora seja relativamente comum pegar uma infecção por fungos, o tratamento para micose nem sempre é simples. Quando ela atinge as unhas dos pés, por exemplo, é necessário seguir o plano terapêutico por cerca de um ano até que toda a unha seja substituída por uma nova.

Utilizar um remédio caseiro para micose não é uma boa solução, pois ingredientes como bicarbonato de sódio, suco de limão e iogurte, entre outros, não têm ação comprovada e podem irritar ainda mais a pele.

O tratamento para micose varia conforme o tipo, o local e a extensão da infecção, por isso apenas o dermatologista pode indicar as melhores medidas. Em geral, são utilizados cremes e pomadas antifúngicos que podem ou não ser associados com medicamentos orais.

É essencial utilizar os medicamentos até a data estipulada pelo médico mesmo que a micose pareça estar curada em alguns dias, pois a infecção tende a voltar ainda mais intensa se o tratamento for interrompido de forma precoce.

Além disso, deve-se evitar a automedicação, pois o uso de alguns produtos tópicos, como pomadas com corticóide, pode até oferecer alívio da coceira, mas acaba favorecendo o desenvolvimento de fungos ainda mais resistentes e difíceis de tratar.

Dessa forma, sempre se consulte com o dermatologista ao observar sintomas como manchas brancas ou avermelhadas, descamação, coceira, bolhas e irritação na pele, placas esbranquiçadas na mucosa oral ou alterações nas unhas (descolamento, espessamento e mudança de cor ou de forma). Procure o MEDPREV mais próximo para agendar sua consulta.

Fonte(s): Hospital Sírio LibanêsAbril SaúdeSBD e Drauzio Varella

posts relacionados
AIDS: o que é, quais os sintomas, como é feito o diagnóstico, qual o tratamento, tem cura?
Leia mais...
Câncer de próstata: o que é, quais os sintomas e qual o tratamento?
Leia mais...