BLOG MEDPREV

Como prevenir as doenças comuns da infância

Manter as vacinas em dia, eliminar as causas de alergia e ensinar bons hábitos de higiene estão entre as dicas para evitar que seu filho fique doente.

Criança que pula, corre e brinca sem parar é uma criança feliz e saudável. Por mais que os pais muitas vezes fiquem de cabelo em pé com tanta energia, o que realmente preocupa é quando os pequenos deixam de fazer bagunça porque estão doentes.

Pensando nisso, o MEDPREV preparou uma lista de dicas e cuidados para prevenir as doenças mais comuns na infância. Confira:

Mantenha a carteirinha de vacinação em dia

A vacinação é uma das principais medidas de proteção contra doenças muito graves que podem deixar sequelas ou levar à morte. Ao receber a vacina, o corpo aprende a se defender e produz anticorpos capazes de combater os vírus e bactérias causadores dessas doenças infecciosas, criando a imunidade.

Conheça as vacinas mais importantes para as crianças:

  • Vacina contra a tuberculose (BCG);
  • Vacina contra a poliomielite ou paralisia infantil;
  • Vacina contra difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções (penta);
  • Vacina contra sarampo, rubéola e caxumba (tríplice viral ou SRC);
  • Vacina contra a hepatite B;
  • Vacina contra a febre amarela;
  • Vacina contra o rotavírus humano;
  • Vacina contra pneumonia, otite, meningite e outras infecções (pneumocócica conjugada);
  • Vacina contra a meningite meningocócica (meningocócica C conjugada);
  • Vacina contra a hepatite A;
  • Vacina contra a varicela;
  • Vacina contra a gripe (influenza).

Elimine as principais causas de alergia respiratória

A rinite e a asma alérgica são doenças muito frequentes na infância. Além dos próprios sintomas causados por elas, que deixam as crianças abatidas, atrapalham o sono e fazem com que os pequenos percam aula, essas doenças favorecem a instalação de outros quadros, como sinusite, otite e bronquite.

Embora não seja possível impedir o desenvolvimento de uma alergia respiratória, é possível adotar cuidados para reduzir a exposição da criança aos agentes desencadeadores (como poeira, ácaros, mofo, pelo de animais etc.) evitar novas crises. Conheça os principais:

  • Substituir carpetes por piso de material liso e que não acumule pó;
  • Limpar a casa com pano úmido pelo menos uma vez por semana;
  • Reduzir o número de objetos de decoração e bichos de pelúcia no quarto da criança;
  • Trocar a roupa de cama uma vez por semana;
  • Lavar cobertores e edredons a cada quinze dias;
  • Evitar que os animais de estimação entrem no quarto da criança;
  • Manter o guarda-roupa limpo e arejado;
  • Não fumar dentro de casa ou na presença dos pequenos.

Ofereça uma alimentação saudável à criança

Além da anemia por falta de ferro e das deficiências de vitaminas, a má qualidade da alimentação é causa direta do sobrepeso e da obesidade. O excesso de peso na infância favorece uma série de doenças crônicas que pode surgir precocemente, como colesterol alto, hipertensão e diabetes, além de favorecer a obesidade na vida adulta.

Em função disso, é preciso estar atento à alimentação de toda a família. Por mais que as crianças adorem doces, biscoitos, salgadinhos e refrigerantes, as guloseimas e os alimentos ultraprocessados devem ser evitados e reservados para o fim de semana. 

Além disso, é essencial que pais e filhos sigam uma alimentação saudável, rica em frutas, verduras, legumes, cereais integrais, leguminosas e proteínas magras. Como as crianças aprendem pelo exemplo, é importante fazer refeições em família e adotar bons hábitos juntos.

Estimule a prática de atividade física

Em conjunto com a alimentação saudável, a prática de atividade física é fundamental para a manutenção do peso adequado para a idade e a altura das crianças. Por isso, os pais devem estimular as atividades que gastam energia, como andar de bicicleta, dançar, jogar bola ou fazer aulas de natação.

Além de combater o sedentarismo e o excesso de peso, movimentar o corpo favorece o fortalecimento dos músculos, ossos e sistema respiratório. A prática de atividades coletivas, como os esportes, ainda contribui para desenvolver a socialização e para que a criança se familiarize com os conceitos de competição, vitória e derrota, que são indispensáveis no decorrer da vida.

Ensine os hábitos de higiene para os pequenos

Quando as crianças começam a ir para a escola, aumentam as chances de contrair viroses e outras doenças infectocontagiosas que causam sintomas como febre, secreção nasal, tosse, dor de garganta, dor de ouvido, diarreia e vômitos.

A principal forma como os vírus, bactérias e parasitas causadores dessas doenças entram no corpo é quando as mãos e objetos contaminados são levados à boca. Por isso, a criança deve conhecer os hábitos de higiene básicos, incluindo:

  • Lavar as mãos com água e sabão depois de utilizar o banheiro e antes de comer;

  • Manter as unhas limpas e aparadas;
  • Assoar o nariz com lenços descartáveis em vez de utilizar os dedos;
  • Tomar apenas água de boa procedência;
  • Não compartilhar objetos como copos e talheres com os coleguinhas.

Limpe corretamente os ouvidos da criança

A otite ou infecção de ouvido pode atingir pessoas de todas as idades, mas é mais comum na infância. Ela causa febre, secreção (pus), perda do apetite e dor muito forte, o que atrapalha o sono das crianças e as deixa muito irritadas.

Como a infecção de ouvido pode ser causada por múltiplos fatores, é preciso seguir uma série de cuidados para prevenir esse problema:

  • Utilize cotonetes apenas para limpar a parte externa da orelha;
  • Não tente remover a cera do ouvido, pois ela tem função protetora contra infecções;
  • Não utilize truques caseiros para aliviar a dor ou tentar desentupir o ouvido, como pingar álcool e cera de vela, pois essas substâncias não funcionam e podem piorar o problema;
  • Remova as secreções nasais com frequência se a criança estiver gripada ou resfriada para evitar que elas se acumulem;
  • Se possível, amamente o bebê até os seis meses para fortalecer o sistema imunológico dele;
  • Ensine as crianças a lavar as mãos com frequência;
  • Mantenha as vacinas em dia.

Em caso de suspeita de qualquer uma dessas doenças, utilize o site ou o aplicativo do MEDPREV para marcar uma consulta com o pediatra por preços populares. A saúde do seu filho merece sempre o melhor!

posts relacionados
Poliomielite: causas, sintomas, diagnóstico e a importância da vacina
Leia mais...
Outubro Rosa: a importância das redes de apoio a mulheres com câncer de mama
Leia mais...