BLOG MEDPREV

Como identificar o mosquito Aedes aegypti e combatê-lo?

Veja como identificar o mosquito Aedes aegypti por meio de suas características e hábitos de vida e conheça as medidas mais eficazes para combatê-lo.

Com o aumento das temperaturas e das chuvas, aumenta também a proliferação do mosquito transmissor da dengue. Por isso, embora os cuidados sejam necessários no ano todo, é ainda mais importante saber como identificar o mosquito Aedes aegypti durante o verão.

Responsável também pela transmissão dos vírus causadores da zika, da chikungunya e da febre amarela, esse mosquito se beneficia do calor e da umidade, fatores que favorecem a eclosão dos ovos nos meses mais quentes do ano.

As doenças transmitidas pelo Aedes aegypti podem ter complicações muito graves, como a falência de órgãos vitais como rins, pulmões e fígado, hemorragias, síndrome de Guillain-Barré, surdez, microcefalia e morte. Dessa forma, saber como reconhecer e combater o mosquito é fundamental para evitar esses problemas.

Como identificar o mosquito Aedes aegypti

O mosquito transmissor da dengue e de outras doenças precisa de água parada, seja ela limpa ou suja, para se reproduzir.

Por isso, ele vive preferencialmente em ambientes urbanos, depositando seus ovos em pneus, latas e garrafas vazias, calhas entupidas, pratinhos de plantas, caixas-d’água descobertas e outros objetos. Saiba mais sobre o Aedes aegypti e aprenda a identificá-lo:

Características físicas

À primeira vista, o mosquito da dengue é bastante similar aos pernilongos comuns, medindo 0,5 a 1 cm e apresentando coloração preta ou marrom no corpo e nas asas.

Sua principal particularidade é a presença das famosas listras brancas no abdômen e nos três pares de patas.

Hábitos de vida

O Aedes aegypti tem hábitos diurnos e é mais ativo nas primeiras horas da manhã e no fim da tarde, por isso a maior parte das picadas acontece nesses horários.

Mosquitos machos e fêmeas se alimentam de néctar e seiva, mas apenas as fêmeas picam os humanos, pois o sangue é necessário para o desenvolvimento dos ovos.

Picada

Como o mosquito da dengue voa a cerca de meio metro do solo, as regiões mais atingidas por suas picadas são as pernas, os tornozelos e os pés – o que não impede que ele pique outras partes do corpo humano se houver oportunidade.

A saliva do Aedes aegypti contém uma substância anestésica que faz com que a picada muitas vezes não coce. Mesmo assim, esse desconforto pode surgir em alguns casos, sendo impossível distinguir a picada desse inseto da de um mosquito comum – especialmente porque também pode haver inchaço e vermelhidão, formando uma bolha no local.

Como combater o mosquito Aedes aegypti

Conhecendo o ciclo de vida e os hábitos do Aedes aegypti, é possível estabelecer as medidas necessárias para combatê-lo e evitar a transmissão de dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

O uso de repelentes pode reduzir as chances de ser picado, mas não tem nenhum efeito sobre a infestação de mosquitos. Por isso, é mais recomendado adotar cuidados que impeçam a reprodução do inseto por eliminar seus criadouros e complementar essas medidas com o reforço da proteção individual. Veja como fazer isso:

  • 1. Atente-se aos vasos de plantas: coloque areia até a borda dos pratinhos para evitar o acúmulo de água. Alternativamente, lave-os uma vez por semana com sabão e escova;
  • 2. Livre-se de objetos que acumulam água: dê o destino correto a latas, garrafas, potes, pneus e qualquer outro tipo de objeto que possa servir como criadouro, optando pela reciclagem sempre que possível;
  • 3. Armazene garrafas da forma correta: se você deseja guardar garrafas e outros objetos que podem acumular água, armazene-os tampados ou com a boca para baixo;
  • 4. Evite a contaminação de calhas e caixas-d’água: as calhas devem ser mantidas desobstruídas e livres de folhas e galhos, enquanto a caixa-d’água deve estar sempre bem tampada;
  • 5. Higienize recipientes que armazenam água: tanques, barris e tonéis utilizados para guardar água da chuva, por exemplo, devem ficar tampados e ser higienizados semanalmente com escova e sabão. As piscinas devem ser tratadas com cloro;
  • 6. Tenha cuidado com o lixo: amarre bem as sacolas e deposite-as em lixeiras fora do alcance de animais. Não jogue lixo em terrenos baldios;
  • 7. Utilize proteção individual: as medidas coletivas de proteção podem ser complementadas com cuidados como o uso de repelentes e inseticidas, a instalação de mosquiteiros e telas em portas e janelas e a preferência por roupas de mangas compridas.

Quando procurar atendimento médico

Os primeiros sintomas de dengue, zica, chikungunya e febre amarela são pouco específicos e incluem febre, dor de cabeça, náuseas, vômitos, manchas vermelhas na pele e dores nas articulações e nos músculos, o que torna difícil diferenciar essas doenças entre si e em relação a outros males.

Por isso, além de saber como identificar o mosquito Aedes aegypti e adotar as medidas de prevenção, é preciso estar atento aos sintomas e procurar atendimento médico de emergência ou com o clínico geral, que está disponível pelo MEDPREV, para obter o tratamento mais adequado.

Fonte(s): G1Ministério da Saúde [1] e [2]Secretaria de Saúde do Espírito Santo [1][2] e [3]FiocruzANS e MD Saúde

 

 

posts relacionados
Você já ouviu falar da Síndrome da Cabeça Explosiva?
Leia mais...
Tudo sobre enxaqueca: o que é, sintomas, causas e tratamento
Leia mais...