BLOG MEDPREV

Ansiedade: o que é, quais são os sintomas e causas e como tratá-la

Emoção que se manifesta por meio de sintomas físicos e psicológicos pode se tornar uma doença, causando medo e preocupação extrema

Todos nós em algum momento já experimentamos a sensação de ansiedade. Os motivos podem ser os mais variados possíveis, como o resultado de uma prova ou a necessidade de falar em público. Trata-se de uma emoção natural dos seres humanos, parte de nossas vidas.

Porém, quando esses sintomas se manifestam de forma mais intensa, causando medo e preocupação extrema diante de situações de rotina, a situação pode ser considerada uma patologia, comprometendo a saúde física e emocional. 

De acordo com a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, a “ansiedade generalizada” recebe o código CID 10 – F41.1. Vamos compreender como essa emoção pode se tornar uma condição patológica e quais são as formas mais comuns de tratamento. 

Ansiedade: uma resposta do corpo humano

A ansiedade é um sintoma natural, uma resposta do corpo humano às preocupações do dia a dia, um dos aspectos do medo. Esse componente é considerado fundamental para a nossa sobrevivência. Porém, a ansiedade se torna um problema quando essa preocupação é desmedida ou frequente em relação a situações do cotidiano.

A chamada “ansiedade crônica” ou “ansiedade generalizada” pode aumentar os níveis de tensão e estresse, cultivando uma espécie de medo irreal, agindo de forma independente do nosso pensamento racional. Esse reflexo do organismo libera adrenalina, resultando em aceleração dos batimentos cardíacos, aumento do consumo de oxigênio, retração do intestino, dilatação das pupilas e liberação de glicose.

Os sintomas são amplos e variados e podem se manifestar de maneira física ou psicológica. No primeiro grupo podemos destacar falta de ar, sudorese, tremores nas mãos, sensação de fraqueza, náusea, tensão muscular e dor de barriga. Já entre os aspectos psicológicos podemos citar o nervosismo, o medo constante, o descontrole dos pensamentos, a irritabilidade e a insônia.

Por que desenvolvemos uma ansiedade desmedida?

Não há estudos conclusivos sobre as causas que levam uma pessoa a desenvolver ansiedade. Entretanto, o que se sabe é que algumas pessoas são mais propensas a ter essa condição potencializada. Entre os múltiplos fatores podem ser observados aspectos genéticos, ambientais, mentais ou doenças físicas.

Um evento traumático ou estressante ou um modelo de pensamento pessimista, por exemplo, podem desencadear esse tipo de condição. Além disso, o abuso de substâncias como álcool, drogas ou medicamentos como benzodiazepínicos também podem servir de estimulantes. Por fim, o estresse acumulado também é considerado uma espécie de gatilho que pode potencializar a ansiedade.

Como é feito o tratamento contra a ansiedade?

Não há um tratamento específico contra a ansiedade pois, como já mencionamos, trata-se de uma condição proveniente de múltiplas causas. Em primeiro lugar, o paciente que apresente esses sintomas deve procurar auxílio médico. Somente a partir de uma avaliação individual será possível diagnosticar a origem da ansiedade para, somente então, iniciar-se o tratamento.

Entre as abordagens mais comuns, a psicoterapia é uma das alternativas. Seja por meio da psicanálise (freudiana, junguiana ou lacaniana), por meio da Gestalt ou de terapias cognitivo-comportamentais, há múltiplas possibilidades de auxílio que podem servir como ponto de partida para redução dos sintomas. Outros casos podem requerer tratamento medicamentoso, o que inclui o uso de antidepressivos, ansiolíticos e antipsicóticos. O uso de qualquer um desses tipos de medicamento só pode ser realizado sob orientação médica. 

O paciente que tiver sintomas como preocupações excessivas, a ponto de interferirem no trabalho e nos relacionamentos, sintomas de depressão, alcoolismo ou dependência química e pensamentos ou comportamentos suicidas pode procurar inicialmente o auxílio de um clínico geral.

A partir de uma primeira consulta e de exames iniciais, como os de sangue, de tireoide ou neurológicos, é esse profissional que decidirá se é necessário ou não o encaminhamento para psiquiatras, psicólogos ou outros especialistas, de acordo com cada caso. Se você tem algum desses sintomas, utilize o aplicativo do Medprev para agendar a sua consulta hoje mesmo e iniciar o tratamento.

posts relacionados
Problemas hormonais: sintomas, prevenção e tratamentos
Leia mais...
5 dicas de saúde para melhorar o seu desempenho no home office
Leia mais...