Quais são as vacinas obrigatórias para viajar?

Passagens compradas, hotel reservado e documentação em dia. Se você ainda não possui um Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), então talvez seja necessário providenciar um antes de embarcar. 

Se você não tiver tomado as vacinas requeridas pelo país em questão, não tem o que fazer: logo no desembarque você será mandado de volta para casa. Para evitar que uma situação desconfortável como essa aconteça, é importante estar ciente sobre as vacinas obrigatórias. Elas variam de país para país e, portanto, é preciso ficar atento na hora de planejar as suas viagens.

Nesse artigo, vamos explicar como funciona o procedimento de comprovação de vacinação, onde encontrar informações sobre quais vacinas você precisa tomar e quais são as mais comuns.

Obrigatoriedade de vacinação: como funciona?

Cada país é livre para decidir quais são as regras para que visitantes entrem em seu território. Todos exigem passaporte, é claro, mas alguns vão além e podem exigir visto para permanência temporária ou comprovantes de vacinação. 

Diferente do que muitos imaginam, a ideia não é proteger os visitantes de possíveis doenças existentes na região, mas sim evitar que os forasteiros tragam doenças de fora. É por esse motivo que um país pode se reservar o direito de exigir um comprovante de vacinação de um brasileiro e dispensar o de um norte-americano, por exemplo.

A primeira coisa que você deve fazer é acessar o site do CIVNET, um sistema mantido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Na página, clique em “Exigências de viagem” e localize o país de destino na lista. 

Por exemplo, se você escolher “Albânia” verá que o país exige dos brasileiros um certificado que comprove que viajante foi vacinado contra a Febre Amarela. Já a “Alemanha” não exige nenhum certificado, mas recomenda que o viajante tome a vacina contra Sarampo. Portanto, cheque os detalhes do seu destino antes de viajar.

Importante: lembre-se de fazer isso com antecedência e com uma certa frequência. As exigências podem mudar de um momento para outro e algumas vacinas requerem um tempo mínimo entre a aplicação e a data de entrada no país para que possam ser consideradas válidas.

Como obter o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)?

Você pode obter o CIVP online ou presencialmente. Para solicitações presenciais o procedimento é o seguinte:

  1. Vacine-se e guarde o comprovante de vacinação.
  2. Depois, dirija-se a um Centro de Orientação ao Viajante da Anvisa. Você pode agilizar o seu atendimento fazendo um pré-cadastro no site da Anvisa. Em geral, os Centros estão localizados em aeroportos internacionais.
  3. Por fim, leve o seu comprovante de vacinação juntamente com um documento de identidade a um Centro de Orientação ao Viajante da Anvisa. A documentação será checada e se tudo estiver correto o seu certificado será emitido. Guarde-o junto ao passaporte e apresente-o no balcão da companhia aérea na hora de embarcar e na alfândega do país de destino quando solicitado.

Para solicitações online, vale lembrar que a emissão do CIVP pode levar até cinco dias úteis. Portanto, se você tiver urgência pelo documento, opte pelo método presencial no qual o certificado é emitido na hora. Eis o passo a passo para a solicitação online:

  1. Vacine-se e guarde o comprovante de vacinação.
  2. Faça um cadastro no Portal de Serviços, usando o número do seu CPF e um endereço de e-mail válido. 
  3. Depois, preencha um formulário no site e encaminhe uma foto do seu RG e do comprovante de vacinação.
  4. Aguarde. Seus documentos serão analisados pela Anvisa em até cinco dias úteis. Após esse prazo, se tudo estiver correto, você receberá por e-mail um CIVP. 
  5. Importante: o CIVP online não é válido. É preciso imprimir o documento e assinar no local indicado para que ele possa ser aceito em outros países.

Quais são as vacinas obrigatórias?

Como já mencionamos, cada país é livre para fazer as suas exigências. Porém, em escala mundial, podemos considerar que a vacina mais importante é da Febre Amarela. Trata-se de uma doença infecciosa grave que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor da dengue. 

Essa obrigatoriedade é mais comum em países da América do Sul, América Central e África, mas não se limita a essas regiões. É importante ficar atento ao período de imunização. A vacina da Febre Amarela precisa de pelo menos dez dias para fazer efeito, portanto você deve tomá-la pelo menos dez dias antes da sua viagem. Um país poderá recusar a sua entrada se o prazo mínimo não for respeitado.

No Brasil, viajantes que se dirigem para áreas de matas nas regiões Norte e Nordeste são aconselhados a tomar essa vacina, embora não exista a exigência. A recomendação se aplica ainda às zonas rurais dos seguintes estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais.

Outras vacinas cuja exigência costuma ser solicitada com maior frequência são as seguintes: Tétano, Difteria, Hepatite A, Hepatite B, Tríplice Viral e Antirrábica. Se você viaja para muitos lugares ou não quer ter surpresas de última hora com isso, a recomendação é providenciar todas elas com antecedência e manter a sua carteira de vacinação sempre atualizada.

E, claro: não se esqueça de consultar sempre o site do CIVNET para verificar se as exigências não mudaram. Se tiver qualquer dúvida sobre as vacinas em si, como eventuais contraindicações, procure um médico para esclarecimentos.

Fonte(s): SkyscannerSaúde AbrilGoHurb e Anvisa