RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

O que é ressonância magnética?

Ressonância magnética é um exame não invasivo que permite a visualização das estruturas internas do organismo por meio de imagens em altíssima definição.

Também conhecido como ressonância magnética nuclear, este é um exame de diagnóstico por imagem moderno e que não utiliza radiação ionizante, diferente da tomografia computadorizada e da radiografia.

Para que serve ressonância magnética

A ressonância magnética serve para o diagnóstico e o acompanhamento de anomalias em praticamente todas as áreas do corpo sem a necessidade cortes ou cirurgia. Este é um dos exames mais avançados em função do alto nível de detalhamento das imagens, permitindo a diferenciação entre o tecido sadio e eventuais lesões.

Dessa forma, ele é utilizado em diversas especialidades da medicina, como neurologia, cardiologia, oncologia, ortopedia etc., para investigar uma série de alterações, incluindo inflamações, infecções, fraturas e tumores.

Como funciona a ressonância magnética

O paciente deve se deitar em uma mesa que desliza através de uma máquina em formato de tubo e que emite muitos ruídos durante o exame. Como esse tubo é estreito, pessoas com claustrofobia costumam necessitar de sedação.

Essa máquina cria um campo magnético e emite ondas de radiofrequência que interagem com os átomos de hidrogênio dos tecidos, os quais emitem diferentes sinais conforme suas características.

Por meio de um software, esses sinais são convertidos em imagens bidimensionais (“cortes” ou “fatias”) que, em seguida, são combinadas para fornecer imagens tridimensionais e altamente detalhadas do interior do corpo.

Tipos de ressonância magnética

As máquinas de ressonância magnética podem variar em relação às suas características técnicas, permitindo a captura de imagens de alta resolução que são úteis no estudo de alterações em diversas partes do corpo.

Conheça alguns dos principais tipos de ressonância magnética:

  • Ressonância magnética do crânio: investiga distúrbios dos olhos e ouvido interno, problemas neurológicos (esclerose múltipla, mal de Alzheimer, toxoplasmose, epilepsia, malformações dos vasos sanguíneos do crânio); alterações vasculares (derrame, aneurisma, coágulos, hemorragia, trombose), inflamações, infecções e tumores cerebrais.

  • Ressonância magnética do joelho: identifica lesões dos ligamentos e meniscos, tendinite, bursite, artrose, cistos, sinovite, infecções e tumores;

  • Ressonância magnética da coluna: estuda todas as porções da coluna (cervical, dorsal, lombar e sacral), identificando anomalias como hérnia de disco, artrose (espondilose), estenose vertebral, desvios da coluna, processos inflamatórios, fraturas e câncer;

  • Ressonância magnética da pelve: avalia os órgãos do abdômen inferior, incluindo bexiga, útero, ovário, próstata e vesículas seminais, e identifica alterações como endometriose, mioma uterino, infecções, doenças da bexiga, tumor pélvico, câncer de próstata e câncer de ovário;

  • Ressonância magnética do abdômen superior: estuda fígado, vesícula biliar, estômago, pâncreas, apêndice, baço, rins, glândulas suprarrenais e intestino, permitindo o diagnóstico de anomalias como abscessos, perfurações de vísceras, apendicite, colecistite (pedra na vesícula), cirrose, pancreatite, litíase (pedra nos rins) e câncer.

Ressonância magnética com contraste

Embora os exames para investigar problemas ortopédicos possam dispensar o contraste, a maior parte dos diagnósticos por ressonância magnética é feita com a utilização desse recurso.

O contraste serve para conferir ainda mais nitidez às imagens e quase sempre é necessário no estudo de tumores para a determinação do seu tamanho e a escolha da melhor forma de tratamento.

Geralmente derivado do gadolínio, o contraste utilizado na ressonância magnética costuma ser injetado na veia através de um cateter inserido antes do exame e raramente causa efeitos colaterais.

Quanto tempo demora uma ressonância magnética?

A duração da ressonância magnética depende da região a ser estudada, podendo levar de 15 a 60 minutos em média.

Preparo para ressonância magnética

Devem ser retirados acessórios e peças de roupa que contenham partes metálicas, como joias, relógio, prendedor de cabelo, óculos, sutiã com aro e aparelho auditivo. É recomendável não utilizar maquiagem e spray de cabelo.

O paciente deve informar o médico caso utilize marca-passo, DIU, stent, pinos de metal e outros implantes. Dependendo da região a ser estudada, pode ser necessário vestir um avental fornecido pela clínica.

Onde fazer ressonância magnética

A ressonância magnética deve ser feita em centros de saúde e clínicas especializadas em exames de diagnóstico por imagem, sempre mediante requisição médica.

Quanto custa uma ressonância magnética

A ressonância magnética é um método muito avançado que oferece diversas possibilidades de diagnóstico. Porém, este é um exame bastante oneroso e que muitas vezes pode ser inacessível.

Para contornar essa desvantagem, você pode contar com o MEDPREV, que oferece a ressonância magnética com preço popular. Ao agendar seu exame nas clínicas parceiras por meio da plataforma digital ou das unidades físicas, você encontra valores bem mais acessíveis mantendo a mesma qualidade de diagnóstico.

Marcar Exame ou Consulta
O MedPrev oferece mais de 200 especialidades, exames, cirurgias e procedimentos por valores acessíveis
+ de 60 unidades
do MEDPREV espalhadas por todo o Brasil
Localizar Unidade
AGORA AINDA
MAIS FÁCIL

Com o aplicativo MEDPREV
em poucos cliques você  
agenda sua consulta

Quero cadastrar

Receba nossas novidades e soluções
para a sua saúde, cadastre-se já!