BLOG MEDPREV

Vale a pena fazer empréstimo para abrir uma franquia?

Saiba quais itens devem ser avaliados antes de fazer um financiamento e veja mais dicas para calcular corretamente os gastos com a abertura da sua franquia.

Abrir uma franquia é um passo importante na vida de quem busca empreender, e a escolha pelo setor de saúde já traz uma vantagem pelo fato de que as chances de risco são muito baixas, afinal todos nós precisamos de serviços desse setor, como consultas e exames médicos.

Se você já decidiu abrir sua franquia, é muito provável que novas dúvidas surjam agora, na medida em que as coisas começam a ficar mais concretas.

Levando em conta o valor que você tem para investir e as necessidades financeiras do seu novo empreendimento, talvez seja preciso recorrer a um empréstimo financeiro para colocar seu negócio em ação. Mas será que vale a pena emprestar dinheiro?

Quanto você precisa para abrir uma franquia?

É fundamental que, durante a negociação da abertura da sua franquia, você receba uma relação completa de todos os investimentos necessários, receitas e despesas, para ter a real noção sobre seus investimentos e retornos financeiros.

Você também pode solicitar informações sobre as outras franquias em funcionamento da marca, para tê-las como base de comparação na hora de realizar a sua própria contabilidade.

Com esses dados em mãos, será possível saber se o dinheiro disponível para o investimento será suficiente ou se você vai precisar complementar esse montante de alguma forma.

Durante a negociação, a empresa é obrigada a fornecer a Circular de Oferta de Franquia (COF), um documento que precisa conter toda a relação contábil da franquia, incluindo investimento inicial e expectativa de tempo de retorno do investimento, para que você tenha noção do capital total e de giro necessário.

Além dos dados disponibilizados pela COF, você precisará levar em consideração os valores de despesas constantes, como contas de energia elétrica, água, internet e aluguel. Coloque na ponta do lápis também as despesas com equipamentos, móveis e outros itens estruturais.

Somente depois de uma análise financeira completa é que o valor total necessário para a abertura da sua franquia será revelado. 

Vale a pena recorrer ao financiamento?

Não entre em desespero caso perceba que capital disponível não é suficiente para a abertura da sua franquia – isso acontece com muitas pessoas.

Existem diversas formas de arrecadar o dinheiro necessário para o seu empreendimento. Você pode vender bens ou pode buscar pessoas para fazer uma sociedade, se achar que vale a pena.

Outra forma de angariar o montante que falta é, sem dúvidas, o financiamento. Essa opção se torna viável quando você calcula todas as receitas da franquia, incluindo as parcelas e juros de um financiamento, e ainda resta um valor justo para você. Ou seja: na ponta do lápis, essa conta não deve deixar o franqueado no vermelho ou zerado.

Considerando um plano de negócios que tenha avaliado o investimento inicial, o prazo de retorno de investimento e o ponto de equilíbrio, é possível que o financiamento do montante que falta seja, sim, a melhor opção para o seu caso.

O que você precisa saber antes de solicitar o financiamento para abrir a sua franquia

Um financiamento feito com o devido planejamento pode ser a resposta para que seu negócio saia do papel, finalmente. 

Não há motivos para ter medo de fazer um financiamento, mas você precisa estar atento a alguns pontos-chave e às opções de financiamento disponíveis antes de dar esse passo:

  • Em relação aos bancos: Muitos bancos trabalham com condições especiais para quem está investindo em franquias. Já para o caso de compra de equipamentos, por exemplo, o ideal é que você procure um banco que ofereça linhas oficiais de financiamento, com prazos maiores e juros mais baixos.
  • Investidores: Para conseguir financiamento com um investidor, é preciso que você saiba que essa modalidade geralmente consiste em trocar esse empréstimo por uma parcela dos seus lucros. Os critérios para conseguir que um investidor financie seu negócio também são mais exigentes.
  • Investimento familiar: Nessa modalidade, o que conta mesmo é a relação que você tem com algum ente querido disposto a bancar seus custos com a abertura do novo negócio. É importante que esse financiamento seja oficializado também, para evitar problemas no futuro.

Com essas opções em mente, você precisa, mais uma vez, fazer cálculos sobre o que vale mais a pena para o seu caso. Antes de solicitar o financiamento, tenha em mente os seguintes itens:

  1. Taxas de juros das instituições: Bancos e financiadoras emprestam dinheiro com base em taxas de juros, e é fundamental que você saiba quais são os valores antes de solicitar o financiamento.
  2. Como pesquisar taxas de juros: O site do Banco Central oferece um acompanhamento constante das taxas de juros praticadas pelas instituições brasileiras. É bacana que você confira essa relação e estude cada banco com calma, para chegar a uma opção que seja a mais adequada para o seu caso.
  3. Prazos de pagamento: Às vezes você pode conseguir um financiamento com juros menores, mas prazos curtos, o que acaba atrapalhando sua administração financeira. Antes de fechar qualquer acordo, veja a relação dos prazos de pagamento e as tarifas cobradas em caso de atraso.
  4. Em relação ao valor financiado: Para evitar um prejuízo no futuro, é preciso que você evite financiar mais do que 30% do valor total do seu investimento, o que ajuda também na hora de conseguir honrar a dívida.
  5. Seguro: Busque financiadoras que tenham linhas de crédito com seguro incluso, para o caso de você precisar atrasar o pagamento de uma parcela ou passe por uma situação pessoal que dificulte o pagamento, como um acidente.
  1. Quando não vale a pena fazer um financiamento: Se você tiver despesas altas, como um apartamento financiado, talvez seja melhor esperar um pouco antes de fazer outro financiamento. 

Abrir sua própria franquia é um passo importante, e agora que você sabe todos os pontos a considerar na hora de fazer os cálculos, é possível fazer uma relação de prós e contras em seu caso particular e, assim, definir se o financiamento será ou não realizado.

Para ter ainda mais segurança nesse aspecto, a opinião de um contador pode fazer a diferença. Não exite em contratar esse profissional se achar que é necessário.

posts relacionados
Quais os principais desafios para as empresas no pós-pandemia?
Leia mais...