BLOG MEDPREV

9 termos que você deve saber para investir em franquias

Ser um franqueado requer certo conhecimento burocrático, e com o guia a seguir você vai conseguir entender melhor quais são seus direitos e deveres.

Abrir uma franquia é uma forma prática de fazer um investimento em algo que você tem potencial, afinal é necessário encontrar um setor com o qual você tenha mais afinidade e, dentro desse segmento, escolher uma marca que já esteja consolidada no mercado.

As empresas que vendem franquias muitas vezes disponibilizam todo o know how sobre a marca, projetos arquitetônicos, investimento e retorno financeiros e, claro, assessoria jurídica e contábil.

Isso significa que o franqueado não vai precisar investir dinheiro em pesquisas de público, praças e suporte, por exemplo.

No Brasil, o mercado de franchising vem crescendo a largos passos. De acordo com relatório da Associação Brasileira de Franchising, a ABF, esse aumento foi de 6,1% somente no terceiro trimestre de 2019.

Se você pensa em abrir uma franquia, é fundamental se informar sobre questões relacionadas à legislação do setor e, para isso, é vital conhecer alguns termos que são frequentemente usados. 

A seguir, resumimos alguns dos mais importantes para que você tenha mais segurança ao fazer negócio:

1. Circular de Ofertas de Franquias (COF)

A Circular de Oferta de Franquias (COF) é um documento obrigatório cuja finalidade é assegurar os direitos e deveres do franqueador e do franqueado. 

Nesse documento, você vai encontrar diversos dados da marca escolhida, como informações financeiras, questões jurídicas, relação de fornecedores, valores de investimento, deveres do franqueado, taxas e relação completa de franqueados.

2. Taxa de Franquia

Essa será sua primeira taxa como novo franqueado, e ela cobrirá os custos da assessoria que você vai receber em treinamento, know how, suporte para instalação e outros serviços que forem necessários até que você comece a operar.

3. Investimento Inicial

Aqui serão calculados todos os investimentos que você fará para que seu negócio comece a funcionar. 

Essa conta considera desde os gastos com a franquia em si como com a contratação de pessoal, possíveis reformas e, claro, o capital de giro. Vale frisar que no investimento inicial o valor do ponto comercial não costuma estar incluso.

4. Royalties

Esse valor diz respeito ao uso da marca que você vai usar enquanto franqueado. Algumas empresas costumam cobrar uma taxa mensal com base no faturamento bruto da franquia, e outras podem também estabelecer um valor fixo com antecedência, na assinatura do contrato. Enquanto você for um franqueado, precisará pagar os royalties da marca.

5. Contrato de franquia

O contrato nada mais é do que o documento oficial da sua relação com a marca franqueada, portanto é preciso prestar total atenção às suas especificidades e exigir que ele esteja o mais claro possível. 

Se você achar necessário, contrate um advogado para ajudá-lo a interpretar todos os pontos do contrato e fazer as ressalvas que desejar. 

6. Prazo de Retorno

Eis outro dado importante: com esse valor, é possível saber quando seu investimento retornará para você. Os números aqui podem variar conforme o valor inicial investido e os dados sobre a região da instalação do ponto comercial.

7. Território da Franquia

Esse dado diz respeito à localização da franquia, pois o franqueador tem uma relação geográfica de todas as unidades instaladas por região. 

No cenário em que mais de um franqueado possa atuar em um território de franquia, o franqueado mais antigo tem a prioridade se quiser investir em mais um ponto, mas se ele não tiver interesse, um novo franqueado pode abrir sua sede no local selecionado.

8. Manual de Franquia

O manual de franquia geralmente  é uma compilação de outros quatro manuais: 

  • Manual de implementação: mostra quais são os primeiros estágios da abertura do seu negócio;
  • Manual de controle e administração: documenta todas as operações da franquia;
  • Manual de marketing e vendas: contém dados sobre publicidade, divulgação da marca e retorno do público;
  • Manual de operações: disponibiliza todos os detalhes do produto ou serviço ofertado.

9. Taxa de Propaganda

A cobrança da Taxa de Propaganda tem a ver com todo tipo de campanha publicitária e de marketing que a marca realiza. Você não precisa se preocupar com a elaboração ou aprovação de produtos e serviços , mas, assim como acontece com os royalties, pagará uma taxa mensal à marca, que pode ser fixa ou ter base em seu faturamento.

Ter esses termos em mente é importante na hora de escolher uma franquia que tenha mais a ver com seu perfil empreendedor. Além disso, quanto mais você tiver noção dessas regras e dos documentos necessários para o seu investimento, mais provável é que você consiga administrar seu negócio e alcançar o sucesso.

posts relacionados
Quais os principais desafios para as empresas no pós-pandemia?
Leia mais...