Blog

Prevenção

Como evitar a desidratação durante o verão?

Sabe aquela sensação de cansaço acompanhada de uma dor de cabeça repentina que ocorre nos dias de calor? Esse pode ser um sinal de que o corpo está desidratado. A […]

Como evitar a desidratação

Sabe aquela sensação de cansaço acompanhada de uma dor de cabeça repentina que ocorre nos dias de calor?

Esse pode ser um sinal de que o corpo está desidratado.

A desidratação ocorre quando a água eliminada pelo nosso organismo através da respiração e do suor, por exemplo, não é reposta corretamente.

Em outras palavras, quando não bebemos água o suficiente.

E ao contrário do que muitos imaginam, a desidratação pode sim levar a graves consequências.

Quer saber mais sobre desidratação e como evitar esse perigo no verão?

Acompanhe o post abaixo.

 

O que é desidratação?

Desde a época da escola aprendemos que somos seres compostos por mais de 70% de água.

Portanto, manter-se hidratado é essencial para o bom funcionamento das funções do nosso organismo.

Naturalmente, expelimos de dois a dois litros e meio de água ao longo do dia através da urina, fezes, suor e até pela respiração. 

Quando essa água não é reposta de forma adequada, principalmente em crianças recém-nascidas, lactentes e idosos, pode causar o que chamamos de desidratação.

Em outras palavras, a desidratação consiste nos baixos índices de concentração de água, sais minerais e líquidos orgânicos no nosso organismo, impedindo que ele realize suas funções básicas.

 

O que causa a desidratação?

A princípio, a causa mais frequente da desidratação é a baixa ingestão de água e outros líquidos como água de coco, chás e suco natural.

Mas esse problema pode ocorrer também devido a outros fatores.

Por exemplo:

  1. Quadros de diarreia;
  2. Perda excessiva de peso;
  3. Quadros de virose onde o indivíduo vomita com frequência;
  4. Uso exagerado de diuréticos;
  5. Febre alta;
  6. Exposição exagerada ao sol ou ambientes de muito calor.

 

Quais os sintomas da desidratação?

Conforme mencionamos anteriormente, somos seres compostos por mais de 70% de água.

Portanto, quando nosso corpo elimina mais água do que recebe, começamos a sentir os primeiros sinais de desidratação.

Além da sede, outros sinais indicam a presença de uma desidratação dita moderada.

Por exemplo:

  1. Cansaço excessivo;
  2. Prisão de ventre;
  3. Dores de cabeça frequentes;
  4. Mau hálito;
  5. Vontade de comer doces;
  6. Cãibras musculares 
  7. Boca e pele seca.

Já os casos severos de desidratação, podem apresentar sintomas como, por exemplo:

  1. Desmaios e/ou delírios;
  2. Urina escura;
  3. Pressão baixa;
  4. Respiração ofegante;
  5. Às vezes, batimentos cardíacos acelerados.

Ao sentir qualquer sintoma descrito acima, não deixe de procurar ajuda médica.

 

Como evitar a desidratação?

Muitas pessoas têm por hábito beber água somente quando sentem sede.

Contudo, para evitar a desidratação isso não basta.

Beber água deve fazer parte da rotina, ou seja, o ideal é ingerir no mínimo 2 litros no decorrer de um dia.

Já nos dias de calor intenso, além de ingerir muito líquido, os cuidados com a desidratação devem ser redobrados.

Por exemplo:

  1. Usar roupas leves;
  2. Evitar muita exposição solar nos dias mais quentes;
  3. Evitar a prática de exercícios nos períodos mais quentes do dia;
  4. Consumir bebidas alcoólicas com moderação.

 

Conclusão

Como vimos acima, manter o corpo hidratado é muito importante para o bom funcionamento do organismo.

Hoje em dia já existem até aplicativos que avisam quando você precisa tomar água, ou seja, não há mais desculpas para ficar sem beber água.

Contudo, a qualquer sinal de desidratação, conte com a Medprev para procurar ajuda médica mais próxima de você.

Gostou desse conteúdo? 

Compartilhe com um amigo e siga a nossa página no Instagram para receber dicas sobre saúde e bem-estar.