BLOG MEDPREV

Saúde auditiva: cuidados que você deve ter ao usar fones de ouvido

Uso contínuo desse acessório com volume acima do recomendado pode causar danos permanentes à audição.

Seja em casa, na rua ou no trabalho, é comum vermos pessoas ouvindo música com fone de ouvido. Se por um lado esse é um acessório capaz de proporcionar momentos de prazer ao longo do dia, por outro ele pode ser um dos vilões da sua saúde auditiva.

O uso cada vez mais frequente de fones de ouvido é um dos responsáveis por um distúrbio chamado Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR). A exposição a sons de intensidade elevada por longos períodos pode causar perdas auditivas irreversíveis. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para evitar que esse problema se torne mais grave com o passar do tempo.

Exposição ao ruído: os limites tolerados

Estima-se hoje que o nível máximo recomendado de volume ao qual podemos ficar expostos é de até 85 decibéis (dB), durante um total de até 8 horas por dia. À medida que o volume aumenta, o tempo de exposição deve ser reduzido pela metade. Por exemplo, a um volume de 88 dB, a recomendação é que a exposição não seja superior a 4 horas/dia.

Entretanto, nem sempre é isso que acontece na prática. Alguns smartphones e fones de ouvido têm capacidade de reprodução em volumes de até 105 dB. De acordo com os índices recomendados, ouvir música nessa intensidade por mais de 5 minutos já seria suficiente para provocar algum tipo de dano à audição. 

Alguns aparelhos eletrônicos, como os próprios smartphones, emitem mensagens de alerta sempre que o usuário configura o volume em níveis mais altos do que o recomendado. Porém, nem todos seguem esse conselho. A exposição contínua a sons mais altos do que o indicado pode desencadear sintomas como zumbidos, sensação de dor e pressão nos ouvidos, distorção sonora e, em casos mais extremos, perda auditiva permanente.

Fones de ouvido causam perda auditiva?

É preciso ter muito cuidado ao fazer esse tipo de afirmação. Fones de ouvido são acessórios essenciais para o nosso dia a dia, sendo desenvolvidos de acordo com normas de segurança e padrões de qualidade que variam de país para país. O uso correto e moderado de fones de ouvido não causa perda auditiva.

Entretanto, o problema ocorre quando a exposição aos ruídos se dá por períodos muito longos e em volumes acima do recomendado. A perda auditiva em decorrência de músicas em volumes muito altos vem sendo registrada desde a década de 40. Porém, esse aspecto antigamente estava mais relacionado aos músicos. Hoje, praticamente todas as pessoas são expostas a sons altos durante o dia, o que contribuiu para o aumento nos índices desse problema.

Portanto, não é necessário deixar de utilizar esse acessório, mas sim utilizá-lo de maneira consciente. Manter um volume razoável (não mais do que 70% a 80% do máximo) e fazer intervalos entre as audições são formas de diminuir os impactos na saúde auditiva e conservar uma relação saudável com a música.

Como diagnosticar a perda auditiva?

Além dos sintomas que mencionamos, a dificuldade em ouvir sons no dia a dia, como conversas ou o volume da TV são indícios de que alguma coisa está impactando na saúde auditiva. Quando seus amigos ou familiares insistentemente indicam que você está ouvindo pouco, esse pode ser o momento de procurar auxílio médico, pois muitas vezes o paciente não se dá conta do problema, especialmente em estágios iniciais.

O especialista em problemas auditivos é o médico otorrinolaringologista. Por meio de exames específicos, como a audiometria, é possível verificar o grau de perda auditiva em cada ouvido separadamente. As causas desse problema podem não ter relação direta com o uso de fone de ouvido, mas sem dúvida esse é um acessório que quando usado de forma demasiada ou incorreta pode causar maiores complicações.

Outros problemas relacionados à perda auditiva

O uso incorreto de fones de ouvido é apenas um dos fatores que pode levar a perdas auditivas. Estudos indicam que a obesidade a desnutrição, e em especial baixos índices de vitamina B12 e antioxidantes, são fatores que podem ter relação com esse tipo de patologia. Além disso, aumentos na velocidade da perda auditiva podem ter relação direta ainda com o Diabetes e com doenças cardiovasculares.

Os trabalhadores que atuem em áreas com ruído acima de 85 dB devem estar sempre protegidos com equipamentos de proteção individual (EPI) para abafar ruídos. O controle da audição é um dos fatores avaliados entre as possíveis doenças relacionadas ao trabalho e é recomendável fazer exames anuais para monitorar esse aspecto da saúde.

Caso você perceba qualquer sintoma relacionado à perda auditiva, utilize o aplicativo Medprev para agendar uma consulta com um especialista.

posts relacionados
Problemas de respiração? Conheça 5 dicas para auxiliar o seu sistema respiratório
Leia mais...