Blog

Doenças

Descubra como se prevenir contra a Covid-19 no inverno

O inverno de 2021 será o segundo para os brasileiros durante a pandemia de coronavírus. Ainda que não existam estudos conclusivos de que o clima frio possa agravar o contágio […]

inverno-covid

O inverno de 2021 será o segundo para os brasileiros durante a pandemia de coronavírus. Ainda que não existam estudos conclusivos de que o clima frio possa agravar o contágio pela doença, esta época do ano acende um sinal de alerta em relação a problemas respiratórios.

As formas de prevenção continuam sendo as mesmas: lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel, usar máscara e praticar o distanciamento social. Entretanto, para se prevenir com relação a problemas respiratórios, que se tornam mais comuns nesta época do ano, algumas dicas podem ser eficientes.

Frio e Covid-19: por que devemos ficar alertas

Como já mencionamos, não há estudos comprobatórios que demonstrem que a chegada do inverno aumente a incidência de coronavírus. Muitas regiões com clima tropical já tiveram surtos da doença mesmo durante o verão, o que mostra que as temperaturas mais frias não são um fator determinante para a propagação, como chegou a se pensar no início da pandemia.

Entretanto, a chegada do inverno é conhecida por agravar outras doenças respiratórias, como rinite ou sinusite. Além disso, ficamos mais propícios a resfriados e com o organismo um pouco mais debilitado aumentam as chances de que um eventual contato com o vírus possa ser mais nocivo para a saúde.

Mudanças de comportamento que devemos adotar no inverno

Temperaturas mais baixas e clima mais seco faz com que as pessoas tendam a passar mais tempo em ambientes fechados, muitas vezes com ar-condicionado. Quando não há circulação adequada do ar, sem abertura de portas e janelas ou mesmo sem a correta limpeza dos filtros do ar-condicionado, a consequência pode ser o desenvolvimento ou agravamento de doenças respiratórias.

Pense, por exemplo, em um escritório, no qual várias pessoas passam pelo menos 8 horas por dia respirando o mesmo ar. Basta que uma delas esteja contaminada para que as partículas virais se instalem no ambiente. Sem circulação de ar adequada, decorrente de janelas fechadas, o resultado é um aumento nas chances de contaminação.

Pacientes com quadros de asma, bronquite, rinite e sinusite devem redobrar os cuidados nesta época, pois se tornam mais sensíveis à ação dos elementos alérgenos. O clima mais seco e os níveis baixos de umidade do ar têm como consequência uma maior concentração de poluentes, o que favorece o agravamento de condições respiratórias adversas.

O que fazer para reduzir os riscos?

Em termos de proteção contra o coronavírus, não há medidas mais efetivas do que aquelas que você já adota durante todos os meses do ano. Entretanto, pensando nos problemas respiratórios, há algumas dicas que podem tornar os ambientes mais agradáveis e menos propícios à propagação de doenças.

Abra janelas e ventile os ambientes

Mesmo que você seja adepto do ar-condicionado, evite deixar ambientes fechados por muito tempo. Seja em casa ou no trabalho, abra as janelas por pelo menos 15 minutos duas vezes ao dia. Essa medida facilita a troca de ar, evitando que elementos alérgenos possam se instalar com facilidade no ambiente.

Hidrate-se bem

Temos a tendência de ingerir mais líquidos no verão do que no inverno, mas nos dias frios também é de suma importância de manter hidratado. A correta hidratação evita o ressecamento das mucosas, uma das causas mais comuns para o desenvolvimento de alergias. Beba pelo menos 1,5 litro de água ao longo do dia.

Evite a respiração direta pela boca

Quando respiramos pelo nariz, as narinas têm como função filtrar o ar e aquecê-lo antes que ele chegue aos pulmões. Já quando respiramos pela boca nada disso acontece. Por isso, preste atenção à maneira como você respira: se estiver se sentindo ofegante ou respirando pela boca mais do que o normal, agende uma consulta pela Medprev.

Não descuide da alimentação

Sopas e caldos com legumes e verduras, além de frutas ricas em vitamina C (laranja e limão são dois bons exemplos) devem fazer parte da sua dieta durante os dias mais frios. Esses alimentos ajudam na prevenção de gripes e resfriados e devem ser consumidos pelo menos uma vez ao dia, se possível.

…..

As dicas acima devem ser suficientes para reduzir os riscos de desenvolvimento de problemas respiratórios em geral e, consequentemente, da Covid-19. Se perceber sintomas como febre, dores de cabeça, olhos lacrimejando, dores no corpo e cansaço excessivo, procure um médico para orientações mais detalhadas. Agende uma consulta pela Medprev com um clínico geral logo que os primeiros sintomas aparecerem.