BLOG MEDPREV

Conheça 5 doenças mais comuns no verão e saiba como evitá-las

As doenças mais comuns no verão incluem conjuntivite, dengue e insolação. Saiba mais sobre as causas desses problemas e conheça as dicas de prevenção.

O verão é sinônimo de férias, calor e diversão, mas a estação também pode trazer algumas ameaças à saúde. Por isso, para saber como se proteger e aproveitar a temporada de praia e piscina ao máximo, é preciso ficar de olho nas doenças mais comuns no verão.

Confira a lista que nós preparamos com todas as dicas para você se prevenir:

1. Conjuntivite 

A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, a membrana transparente que protege os olhos do ambiente externo. Os sintomas mais comuns são vermelhidão, coceira e lacrimejamento, mas também pode haver secreção purulenta e a formação de crostas na região dos olhos.

Essa condição pode ser originada por uma alergia ou irritação, as quais podem ser causadas pelo contato com o cloro, a água do mar, o protetor solar e outras substâncias. Porém, a conjuntivite também pode surgir a partir de uma infecção viral (mais comum) ou bacteriana (mais grave), tornando-se altamente contagiosa. 

Como a transmissão ocorre pelo contato com secreções contaminadas, as dicas para evitar a conjuntivite são:

  • Evitar coçar os olhos ou levar as mãos até eles;
  • Lavar o rosto e as mãos com frequência;
  • Não compartilhar objetos como óculos, toalhas, maquiagens e cosméticos;
  • Evitar o contato com substâncias como cloro e outros produtos químicos.

2. Dengue, chikungunya e zika

A dengue, o chikungunya e a zika têm sintomas semelhantes e são transmitidos pelo mesmo mosquito, o famoso Aedes aegypti, embora sejam causados por vírus diferentes. 

Eles aparecem na lista de doenças mais comuns no verão porque o calor e chuvas são fatores que favorecem a reprodução do mosquito transmissor, aumentando a incidência de casos durante essa estação.

As melhores formas de prevenir essas doenças incluem medidas individuais para evitar as picadas e medidas coletivas para eliminar os criadouros do mosquito, por exemplo:

  • Evitar se expor a lugares abertos no fim da tarde, quando há um número maior de mosquitos em busca de alimento;
  • Utilizar repelente de insetos e mosquiteiro;
  • Manter barris, tonéis e caixas-d’água limpos e bem tampados;
  • Colocar areia até a borda dos vasos de planta;
  • Não jogar lixo em terrenos baldios.

3. Desidratação

As altas temperaturas e a exposição ao sol favorecem a desidratação, que corresponde à perda de líquidos pelo corpo. As pessoas mais sujeitas a essa condição são as crianças pequenos e os idosos.

Os sinais mais frequentes da desidratação são urina escura, letargia e sonolência, mas ela pode se agravar e levar a uma parada cardíaca e até mesmo à morte pela redução do volume sanguíneo circulante.

Confira as dicas para evitar a desidratação:

  • Consumir cerca de 2,5 litros de água diariamente, aumentando essa quantidade quando praticar atividades físicas ou em dias de calor intenso;
  • Consumir água de coco, chás e sucos naturais para complementar a hidratação;
  • Evitar o consumo de café e álcool, que desidratam o organismo.

4. Insolação

A insolação acontece quando a temperatura do organismo passa dos 40 graus, o que interrompe a transpiração e impede o resfriamento do corpo. Ela costuma se instalar quando a pessoa passa muito tempo exposta ao sol sem proteção ou ao calor. 

O que torna essa condição especialmente perigosa é que a rápida elevação da temperatura corporal faz com que a pessoa perca muita água e sais minerais, o que pode prejudicar os processos fundamentais para a manutenção do organismo.

Conheça os cuidados para evitar a insolação:

  • Evitar a exposição solar entre as 10 e as 16 horas;
  • Utilizar roupas claras e leves em dias de calor;
  • Aplicar protetor solar com FPS 30 ou superior;
  • Tomar pelo menos 2,5 litros de água por dia;
  • Hidratar-se antes, durante e depois de praticar atividades físicas no calor;
  • Não ficar dentro do carro sob sol forte.

5. Micoses

As micoses incluem todas as infecções por fungos que atingem a pele, as unhas e o couro cabeludo. Elas estão entre as doenças mais comuns do verão porque esta estação do ano oferece calor e umidade, duas condições que favorecem a reprodução desses microrganismos.

As infecções fúngicas mais frequentes nesta época incluem o pano branco (manchas mais claras ou mais escuras na pele), a frieira (fissuras entre os dedos) e a micose de unha (unhas esbranquiçadas e mais grossas).

Para evitar as micoses, atente-se aos seguintes cuidados:

  • Não passar muito tempo com roupas de banho molhadas;
  • Utilizar chinelos ao redor da piscina, saunas, vestiários e chuveiros públicos;
  • Não compartilhar objetos como toalhas, calçados e cortadores de unha;
  • Secar muito bem entre os dedos dos pés e outras dobras do corpo depois de tomar banho.

Ficar de olho nessas dicas ajuda você a manter distância das doenças mais comuns do verão e a aproveitar suas férias ao máximo. Em caso de dúvida, marque sua consulta pelo site ou aplicativo do MEDPREV.

Fonte(s): EinsteinMinistério da SaúdeGazeta Do Povo e Minuto Saudável

posts relacionados
Doenças articulares: causas, sintomas e tratamentos
Leia mais...