BLOG MEDPREV

Doação de sangue: saiba como doar e salvar vidas

Saiba quais são os requisitos e os impeditivos para ser doador de sangue e conheça todas as etapas da doação.

Você sabia que não existe nenhum produto sintético capaz de substituir o sangue? É por isso que a doação de sangue é tão importante, já que não existe outra forma de conseguir esse líquido precioso que muitas vezes é a única possibilidade de salvar uma vida.

Esse é o caso do atendimento a pessoas gravemente feridas em acidentes ou calamidades e de cirurgias de grande porte ou muito demoradas, como os transplantes. Nessas situações, quando há uma perda de sangue muito significativa, a reposição desse fluido obtido por meio das doações pode ser a única chance de sobrevivência.

Outros exemplos são as pessoas em tratamento de câncer, que ficam com o organismo muito debilitado, e aquelas que sofrem com doenças crônicas como anemia falciforme e talassemia. É somente com a transfusão do sangue doado por voluntários que essas pessoas têm a chance de aumentar sua expectativa e sua qualidade de vida.

Quem pode ser doador de sangue

A doação de sangue é totalmente segura, pois todo o material utilizado é estéril e descartável. Além disso, como a quantidade coletada é de aproximadamente 450 ml, o que não chega a 10% do volume de sangue total do organismo, levamos menos de 24 horas para repor essa saída, de forma que a doação não causa nenhum prejuízo ao organismo.

Por isso, os requisitos para doar sangue são muito simples:

  • Ter entre 16 e 69 anos (pessoas com menos de 18 anos podem doar sangue com autorização dos responsáveis e pessoas acima de 60 podem doar se já tiverem feito isso antes);
  • Pesar mais de 50 kg;
  • Estar alimentado (deve-se aguardar 2 horas após o almoço e evitar alimentos gordurosos 3 horas antes da doação);
  • Ter dormido pelo menos 6 horas na noite anterior à doação (ou nas 24 horas anteriores);
  • Ter um estilo de vida saudável e evitar comportamentos de risco.

As mulheres podem doar sangue até 3 vezes por ano com intervalo de pelo menos 3 meses entre cada uma. Os homens podem fazer até 4 doações por ano com intervalo de 2 meses.

Quem não pode doar sangue

Além de atender aos requisitos gerais para ser doador de sangue, é preciso observar alguns impedimentos para a segurança do doador e do receptor. Esses impedimentos podem ser temporários ou definitivos:

Impedimentos temporários para a doação de sangue

  • Gripes, resfriados e febre: aguardar 7 dias depois do fim dos sintomas;
  • Mulheres grávidas;
  • Pós-parto: aguardar 90 dias para parto normal e 180 dias para cesárea;
  • Mulheres que amamentam: aguardar 12 meses depois do parto;
  • Consumo de bebidas alcoólicas: aguardar 12 horas;
  • Extração de dente: 72 horas;
  • Exames endoscópicos: aguardar 6 meses;
  • Tatuagem e piercing: aguardar 12 meses (piercing na língua, gengiva ou genitais impede a doação de sangue);
  • Situações de risco para infecções sexualmente transmissíveis (IST): aguardar 12 meses;
  • Transfusão de sangue: aguardar 12 meses.

Impedimentos definitivos para a doação de sangue

  • Hepatite a partir dos 11 anos;
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • Alcoolismo crônico;
  • Diabetes;
  • Evidências de doenças transmitidas pelo sangue, incluindo hepatite B e C, HIV/AIDS e doença de Chagas;
  • Câncer;
  • Transplante de órgãos.

Como acontece a doação de sangue

O procedimento completo para doar sangue leva cerca de 40 minutos. A primeira etapa é apresentar os documentos pessoais à recepção do centro de doação para fazer um cadastro. 

Em seguida, o candidato a doador passa por uma triagem que inclui uma entrevista de caráter confidencial e a verificação de alguns indicadores básicos de saúde, como pressão arterial, pulso, temperatura, peso e altura.

Também é realizada a dosagem de hemoglobina para verificar se a pessoa tem anemia, o que pode ser feito com ou sem punção digital dependendo do centro de doação. 

Depois, o candidato vai até uma cabine separada onde poderá fazer o chamado “voto de autoexclusão”. Caso a pessoa suspeite ou saiba que tem alguma IST, esta é a última oportunidade de avisar ao hemocentro que seu sangue NÃO deve ser utilizado para transfusão. 

A vantagem desse procedimento é que essa informação só será associada ao sangue da pessoa mais tarde, evitando constrangimentos diante dos acompanhantes ou funcionários.

Depois da triagem, é feita a coleta de sangue propriamente dita, que dura cerca de 10 minutos. Em seguida, o doador fará um lanche e permanecerá no centro de doação por aproximadamente 15 minutos ou até se sentir bem para ir embora. 

Tipos de sangue

Assim como no transplante de órgãos é preciso haver compatibilidade entre o doador e o receptor, isso também acontece com o sangue. Por isso, a transfusão observa as seguintes regras:

 

Tipo de sangue

Pode doar para:

Pode receber de:

A+

AB+ e A+

A+, A-, O+ e O-

A-

A+, A-, AB+ e AB-

A- e O-

B+

B+ e AB+

B+, B-, O+ e O-

B-

B+, B-, AB+ e AB-

B- e O-

AB+ (receptor universal)

AB+

A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB- 

AB-

AB+ e AB-

A-, B-, O- e AB-

O+

A+, B+, O+ e AB+

O+ e O-

O- (doador universal)

A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB-

O-

 

Enquanto os tipos de sangue O+ e A+ são mais comuns, os outros são bastante raros, o que faz com que seus estoques sejam ameaçados e aumenta ainda mais a importância da doação de sangue.

Onde doar sangue

É possível doar sangue nos hemocentros ou hemobancos (bancos de sangue) independentes ou associados aos hospitais públicos e privados da sua cidade. Em caso de dúvida, você pode solicitar informações na secretaria de saúde municipal ou no próprio hospital.

Agora que você conhece a importância da doação de sangue e já sabe como ela funciona, que tal dedicar alguns minutos para esse gesto tão simples, mas capaz de salvar tantas vidas?

Fonte(s): Saúde Abril, Hemo Banco e Ministério da Saúde

posts relacionados
Doação de leite materno: como funciona o banco de leite?
Leia mais...
Transformações que ocorrem no corpo da mãe após o parto e durante a amamentação
Leia mais...