BLOG MEDPREV

Como saber se a franquia cabe no meu orçamento?

Ao abrir uma franquia é preciso listar todos os investimentos e, com base em perspectivas de retorno, ver se esse é o negócio ideal para você.

Abrir uma franquia é a forma pela qual muitas pessoas encontram de ter o próprio negócio com uma boa perspectiva de sucesso, afinal a possibilidade de contar com todo o know-how de uma marca já conhecida (incluindo dados financeiros, administrativos e campanhas de publicidade e marketing) é o grande ponto positivo das franquias.

A primeira coisa que você precisa fazer se quiser abrir sua própria franquia é definir qual é o orçamento disponível e, assim, entender se a franquia escolhida é compatível com ele. 

Plano de Negócios

Abrir uma franquia é uma negociação importante e que precisa ser feita com cautela e muito planejamento. Para isso, você deve avaliar a vida financeira da marca na qual deseja investir e, com base nos dados recebidos, entender se o seu orçamento está de acordo com as necessidades da abertura desse negócio.

O franqueador deve criar um Plano de Negócios para avaliar quais são os montantes necessários para a abertura, manutenção e o funcionamento de uma nova franquia e, depois disso, esse material é entregue ao futuro franqueado.

Sendo assim, você deverá ter acesso a cálculos que incluem todos os valores que precisam ser investidos: todas as taxas, capital de giro, instalação da unidade da franquia, contratação de pessoal, compra de materiais, fundos para propagandas e pagamento de royalties, por exemplo.

Com esses números em mãos, você é capaz fazer um cálculo preciso e efetivo sobre seus gastos, o que evita o prejuízo de investir em um setor que exige mais dinheiro do que o montante disponível.

Para ter ainda mais confiança ao montar seu Plano de Negócios, é aconselhável que você contrate o auxílio de um contador e solicite ao franqueador quaisquer dados que estejam faltando.

Investimento Inicial

Como estamos falando sobre a elaboração de um planejamento detalhado do seu investimento, o ideal é seguir a linha do óbvio e “começar pelo começo”. 

O mercado de franchising é amplo e abrange os mais diversos setores, sendo assim, é possível atender o ideal de investimento em um ramo com o qual se tenha afinidade.

Para saber quais são todos os setores do mercado de franquias e quais marcas trabalham com esse modelo, você pode entrar no site da Associação Brasileira de Franchising, a ABF, onde há um compilado de todos os setores e, inclusive, a possibilidade de buscar esses setores com base no investimento máximo possível.

Tenha em mente que, muitas vezes, os valores relacionados à instalação do ponto comercial não entram nos cálculos de investimento inicial. Ou seja: cabe ao franqueado solicitar os detalhes completos à marca franqueadora.

Nesse sentido, precisam ser considerados valores de construção, reforma, mobiliário, compra de equipamentos, sistema de gestão e, claro, a necessidade ou não de contratação de pessoal. Não deixe esses cálculos de fora na hora de contabilizar seu investimento inicial.

Capital de Giro

É importante que você sempre solicite ao franqueador os cálculos que são importantes e que, às vezes, não se encontram nos documentos fornecidos pela marca.

O capital de giro, por exemplo, é essencial para o seu planejamento financeiro, mas nem sempre está contabilizado nas somas fornecidas pelo franqueador.

É importante, nas suas projeções de negócio, sempre manter um saldo de caixa minimamente positivo, que permita que o administrador da franquia arque com os custos mensais da franquia sem ficar no vermelho. 

O cálculo do capital de giro deve levar em conta certos aspectos fundamentais do seu negócio:

  • A política de vendas e os valores imediatos que são recebidos pela prestação de serviço ou venda de produtos;
  • A manutenção dos estoques recomendados pela marca;
  • A necessidade de caixa para atender a questões emergenciais nos negócios, especialmente naqueles que forem sazonais e têm expectativa de  momentos de pico e de baixa;
  • O tempo de estimativa para recuperar o investimento inicial e passar a ter lucro;
  • O salário dos funcionários e pagamentos de eventuais colaboradores;
  • Os pagamentos de contas frequentes, como energia elétrica, internet e água.

O bom gerenciamento do capital de giro é o que permite que a empresa funcione de forma adequada e evite depender de empréstimos ou financiamentos frequentes.

Linhas de crédito para franquias

O setor de franquias é um dos que mais cresce no país e, justamente por isso, há bancos e financiadoras que trabalham com linhas de crédito especiais para fraqueadores e franqueados.

Essa facilidade tem a ver também com o ramo escolhido, afinal as empresas financeiras já sabem que investir na franquia de uma marca conhecida e consolidada no mercado é uma abordagem com pouco risco de falência.

Se você precisar fazer um financiamento, consulte as condições de diferentes bancos públicos, privados e agências de fomento. Dessa forma, fica mais fácil comparar as condições e escolher aquela que trabalhar com juros menores ou com parcelas mais suaves, por exemplo.

Lembre-se de que o ideal é que a maior parte do investimento venha do seu orçamento inicial, de modo que o uso de linhas de crédito seja apenas para compensar uma quantia menor que tenha faltado no investimento inicial.

Abrir uma franquia requer muita pesquisa, análise e dedicação, além, é claro, de investimento financeiro.

Seguir as orientações acima é necessário para que você corra menos riscos e consiga planejar melhor a saúde financeira do seu negócio. Uma boa ideia é sempre contar com a ajuda de um contador e de um advogado, o que aumenta a sua segurança na hora de dar esse passo tão importante em direção à sua independência financeira.

posts relacionados
Quais os principais desafios para as empresas no pós-pandemia?
Leia mais...