BLOG MEDPREV

Como evitar as manchas de melasma e estrias durante a gravidez?

Não há como impedir a influência dos hormônios e do crescimento do útero, mas nem tudo está perdido: veja como evitar as manchas de melasma e estrias durante a gravidez.

Apesar de toda a expectativa com a chegada do bebê, muitas mulheres se preocupam com as mudanças que a gestação pode trazer à pele. Mesmo que elas permaneçam depois do parto, algumas dessas alterações podem ser prevenidas – e para isso é importante saber como evitar as manchas de melasma e estrias durante a gravidez.

O melasma, que durante a gestação recebe o nome de cloasma gravídico, consiste no aparecimento de manchas marrons no rosto em função das mudanças hormonais, que estimulam a produção da melanina (o pigmento que dá cor à pele). A partir disso, a exposição aos raios solares pode provocar ou intensificar esse mecanismo.

Já no caso das estrias, seu surgimento se dá porque a distensão da pele para acomodar o bebê é muito rápida, acima da capacidade elástica do tecido. Com isso, as fibras de colágeno e elastina se rompem, dando origem às linhas que se parecem com cicatrizes.

Fatores como as mudanças hormonais e o aumento do volume do útero não podem ser controlados, mas ainda existem alguns cuidados que você pode seguir para evitar as manchas de melasma e estrias durante a gravidez. Confira:

1. Evitar a exposição ao Sol

O Sol estimula ainda mais os melanócitos, que já estão com sua atividade aumentada devido aos hormônios femininos. Em consequência, há um aumento na produção de melanina, originando o melasma. Dessa forma, é importantíssimo evitar a exposição ao Sol, especialmente nos horários de pico – entre 10 e 15 horas no horário normal e 11 e 16 horas no horário de verão.

Além disso, deve-se investir em acessórios como chapéus, bonés, óculos escuros e sombrinhas para formar uma barreira física contra os raios solares.

2. Aplicar o protetor solar rigorosamente

O protetor solar é indispensável em ambientes externos; contudo, como a radiação solar atravessa nuvens e janelas, é necessário utilizá-lo mesmo em dias nublados ou quando você ficará dentro de casa ou do escritório.

Para que esse cuidado seja realmente eficiente, escolha um produto específico para o seu tipo de pele e que tenha fator de proteção solar (FPS) 30 ou superior. As versões com cor, que se parecem com uma base, ainda oferecem a vantagem de formar uma barreira física contra a radiação.

Além de escolher o produto ideal, é preciso saber como utilizá-lo corretamente. Para isso, a primeira aplicação deve ser feita logo após acordar e lavar o rosto, utilizando uma colher de café do produto para cobrir a face e o pescoço. Se o colo estiver exposto, é necessário aumentar a quantidade de protetor – lembre-se de que ele só funciona se for aplicado em abundância.

Durante o dia, o procedimento de lavar o rosto e aplicar o protetor solar deve ser repetido a cada duas horas. Caso você esteja na praia ou na piscina, reaplique o produto depois de mergulhar ou se secar com a toalha.

3. Consumir alimentos ricos em folato

O folato, uma vitamina do complexo B, é o correspondente do ácido fólico encontrado na natureza. Esse micronutriente é muito conhecido pelas gestantes por ser necessário para o alargamento do útero, o crescimento da placenta e o desenvolvimento do feto, principalmente do tubo neural.

Além disso, pesquisas recentes mostraram que a deficiência do folato está relacionada à hiperpigmentação da pele, podendo aumentar o surgimento das manchas de melasma. Dessa forma, o consumo de alimentos ricos nessa substância, como os vegetais de folhas verde-escura, a laranja e o pão integral, deve ser reforçado durante a gestação.

4. Controlar o ganho de peso

A principal medida para evitar as estrias na gestação é controlar a variação do peso. Costuma-se dizer que o ideal é que o aumento máximo seja de 11 a 15 quilos, mas esse valor varia de mulher para mulher – e somente o obstetra pode estabelecer a faixa de peso adequada.

Esse controle é importante porque, quanto mais quilos a gestante ganhar, mais a pele precisará se esticar para acompanhar o aumento do volume. Com isso, os limites da capacidade elástica podem ser ultrapassados, o que resulta no rompimento das fibras de colágeno e elastina e no surgimento das estrias.

Manter uma dieta saudável, especialmente elaborada para a gestação, e seguir uma rotina de exercícios físicos são medidas essenciais para alcançar esse objetivo, mas ambas devem ser acompanhadas por especialistas.

5. Utilizar óleos e cremes hidratantes

Uma pele bem hidratada é mais resistente ao estiramento causado pelo aumento do útero, diminuindo as chances de as fibras se romperem. Desse modo, recomenda-se utilizar produtos hidratantes que contenham ureia (até 3%), lactato de amônia, vitamina E, colágeno, elastina e óleos vegetais, como o de semente de uva e o de amêndoas.

Esses produtos devem ser aplicados duas vezes por dia, de manhã e à noite, fazendo uma massagem suave na região da barriga e das mamas para ativar a circulação sanguínea e estimular a oxigenação dos tecidos.

6. Fazer boas escolhas alimentares

Uma dieta saudável não apenas ajuda a evitar o ganho de peso excessivo como ainda fornece nutrientes que ajudam a combater as estrias. Durante a gestação, vale a pena reforçar o consumo de alimentos ricos em vitamina C e E, que melhoram a qualidade da pele.

A vitamina C, que participa da formação do colágeno, é encontrada em frutas cítricas (acerola, laranja, limão, tangerina etc.), no mamão-papaia, nas folhas verdes e na batata. Já a vitamina E, que protege a membrana celular e tem efeito antioxidante, é fornecida por alimentos como gema de ovo, nozes, sementes, vegetais de folhas verdes, óleos vegetais e cereais integrais.

É muito difícil passar os nove meses sem que a pele ganhe algumas marcas, mas seguir esses cuidados de como evitar as manchas de melasma e estrias durante a gravidez pode sim diminuir a necessidade de fazer tratamentos estéticos no futuro.

Fonte(s): JAMA Network, Terra, Bebe.com e Tua Saúde

Tags: Saúde, cuidado do corpo, medprev, hospital, clínicas, agendamento, gravidez, melasma, estrias, filhos, bebês

Voltar para   BLOG MEDPREV

posts relacionados
Você já ouviu falar da Síndrome da Cabeça Explosiva?
Leia mais...
Tudo sobre enxaqueca: o que é, sintomas, causas e tratamento
Leia mais...