BLOG MEDPREV

Alergias alimentares: sintomas, causas, como identificar e tratamento

Leite, ovos e frutos do mar estão entre os principais causadores de alergia alimentar. Saiba quais são os sintomas e o tratamento das reações alérgicas.

As alergias alimentares são reações exageradas do sistema imunológico que podem ter consequências muito sérias, inclusive oferecendo risco de levar a pessoa à morte em casos muito graves.

Esse problema é mais frequente entre as crianças com menos de 3 anos, podendo se manifestar entre 6% a 8% dessa população. Já entre os adultos, a ocorrência é de cerca de 3% das pessoas.

A alergia alimentar é diferente da intolerância a determinados alimentos (como a intolerância à lactose). Isso acontece porque a intolerância não envolve as células do sistema imunológico, e sim a dificuldade do organismo em processar alguns produtos.

Alimentos que mais causam alergia

Qualquer alimento pode desencadear uma reação alérgica em pessoas que tenham essa pré-disposição. Contudo, estima-se que 90% dos casos sejam causados por estes alimentos:

Leite e seus derivados

O leite e os laticínios são os maiores causadores de alergia alimentar no Brasil. Nesse caso, a reação é desencadeada pelas proteínas do leite (e não pela lactose, que é um açúcar e causa a intolerância). Em geral, o problema desaparece a partir dos 5 anos.

Ovo

Algumas pessoas podem ter reação alérgica ao ovo cru ou pouco cozido e não apresentar nenhum problema ao consumir pratos assados que foram preparados com ovos, como bolos e massas. Quem tem alergia ao ovo também deve se atentar à composição das vacinas, pois algumas contêm proteínas extraídas desse alimento.

Amendoim e castanhas

Qualquer tipo de castanha, incluindo amêndoas, avelãs, castanha-de-caju, nozes e pistache, por exemplo, pode causar alergia. Porém, o amendoim costuma ser o maior vilão – justamente por ser a oleaginosa mais consumida.

Frutos do mar

O campeão desse grupo é o camarão, que também é o representante mais comum. Em geral, os frutos do mar causam alergia porque não são consumidos o ano todo, mas sim apenas no verão, e isso pode fazer com que o sistema imunológico confunda suas proteínas com partículas perigosas.

Sintomas das alergias alimentares

Os sintomas de alergia alimentar costumam surgir logo depois da ingestão do alimento ou em até duas horas depois, raramente passando desse intervalo. Como essa alergia se trata de uma reação que afeta o corpo como um todo, ela pode atingir diversos órgãos.

Os principais sintomas de alergia alimentar são:

  • Inchaço na face, especialmente nos lábios, língua, orelhas e olhos;
  • Manchas vermelhas pele;
  • Coceira;
  • Urticária;
  • Diarreia;
  • Dor abdominal;
  • Vômitos;
  • Tosse;
  • Rouquidão;
  • Chiado no peito.

Reação anafilática

Em caso de alergia alimentar grave, os sintomas podem se manifestar de forma muito intensa e levar a um quadro muito sério conhecido como reação anafilática. 

Nesse caso, além dos sintomas já mencionados, a pessoa pode sofrer um edema de glote, que consiste no estreitamento da garganta e o bloqueio da passagem de ar.

Ela também pode desenvolver o choque anafilático, que envolve queda de pressão, alterações no ritmo cardíaco e colapso hemodinâmico (quando a corrente sanguínea não chega a todos os órgãos de forma suficiente). Se não houver atendimento médico imediatamente, o choque anafilático pode levar à morte.

Causas das alergias alimentares

As reações alérgicas acontecem quando o sistema imunológico confunde uma partícula inofensiva com uma ameaça ao organismo. No caso da alergia alimentar, essas partículas costumam ser algumas proteínas específicas.

Quando essas partículas são detectadas corrente sanguínea, as células de defesa iniciam uma reação em cadeia para destruí-las. Essa reação envolve a liberação de uma grande quantidade de histamina, a substância que causa os sintomas da alergia. 

Ter uma alergia alimentar ou não é uma característica genética. Sabe-se que pessoas que têm outros tipos de alergia, como a rinite alérgica, ou que vêm de famílias com histórico de alergia têm mais chance de também apresentar essa reação.

Tratamento das alergias alimentares

O tratamento das alergias alimentares costuma ser feito com medicados utilizados por via oral. Dependendo da gravidade dos sintomas, o médico pode prescrever um anti-histamínico, que combate os efeitos da histamina no corpo, ou um corticoide, que age diminuindo a ação do sistema imunológico.

Em caso de reação anafilática, o tratamento de emergência é feito com uma injeção de adrenalina e o uso de máscara de oxigênio.

Como identificar as alergias alimentares

Quando existem suspeitas de alergia alimentar, o médico pode solicitar um teste de alergia para identificar quais itens podem despertar essa reação. Existem dois tipos principais de exame:

  • Teste de alergia de pele: algumas gotas do extrato dos alimentos a serem testados são depositadas sobre a pele. Depois de algumas horas, observa-se se houve reação como urticária, manchas vermelhas ou coceira;
  • Teste de alergia de sangue: trata-se de um exame feito no laboratório no qual a pessoa deve ingerir uma pequena quantidade do alimento suspeito. Em seguida, coleta-se uma amostra de sangue que será analisada para verificar indícios de reação alérgica, em conjunto com o surgimento de sintomas.

Ao suspeitar da existência de alergias alimentares ou qualquer outro tipo de reação alérgica, utilize o site ou o aplicativo do MEDPREV para agendar uma consulta com o alergologista e conhecer os cuidados específicos para o seu caso.

 

 

posts relacionados
Ansiedade: o que é, quais são os sintomas e causas e como tratá-la
Leia mais...
Quando a febre se torna perigosa para o organismo?
Leia mais...